Rodriguinho lamenta arena Corinthians vazia e fala em vaias sem sentido

O baixo público da torcida corintiana em Itaquera nesta quarta-feira preocupou não só a diretoria do clube, mas também os jogadores. Saindo de campo com um empate sem gols contra o Atlético-MG, a equipe do técnico Fabio Carille somou sua terceira partida neste Brasileirão sem vitória, entretanto, o sentimento de tristeza do elenco não foi causado pelo resultado, mas sim pela ausência da Fiel nas arquibancadas.

"É uma coisa que nos causa um sentimento de tristeza. O Corinthians sempre foi reconhecido e visto como um time que a torcida empurra sempre, comparece, e infelizmente nesse jogo foi diferente. É até estranho para quem já viveu momentos anteriores, de casa cheia, viver esse momento de agora. Bem difícil", disse Rodriguinho, se referindo ao público de 17.135 pagantes, o pior da história da Arena Itaquera.

"É uma coisa que nos causa um sentimento de tristeza. O Corinthians sempre foi reconhecido e visto como um time que a torcida empurra sempre, comparece, e infelizmente nesse jogo foi diferente. É até estranho para quem já viveu momentos anteriores, de casa cheia, viver esse momento de agora. Bem difícil", disse Rodriguinho, se referindo ao público de 17.135 pagantes, o pior da história da Arena Itaquera.

"Contra o Cruzeiro, apesar da nossa vitória, alguma parte da torcida nos vaiou. Foi uma coisa que a gente ficou sem resposta, sem saber o motivo, mesmo o time ganhando e tendo uma possibilidade muito boa de avançar na Copa do Brasil. É um momento complicado, de mudança de comissão, saída de jogadores… Temos que nos adaptar e voltar o mais rápido possível ao time acostumado com glórias", completou Rodriguinho.