Após fim de julgamento, pai de Neymar fala em perseguição à família

Logo após o juiz espanhol, José De La Mata, arquivar o processo da DIS contra Neymar, à cerca de incoerências com as cifras da transferência do atleta para o Barcelona em 2013, o pai do jogador postou uma foto nas redes sociais afirmando que ele não comemoraria a decisão, por sempre ter tido a consciência limpa sobre o caso e afirmou que tanto ele quanto sua família foram perseguidos pelo grupo de empresários.

"Atacaram minha família de todas as formas, as mais gananciosas e inescrupulosas possíveis. Levaram meu filho a Audiência Nacional na Espanha, um dos dias mais tristes da minha vida, processaram a mãe dos meus filhos, nos acusaram de corruptos e tentaram de todas as formas arranhar a imagem de nossas empresas", disse Neymar Pai, através da publicação.

O próprio atacante repostou o texto do pai, também em uma conta em rede social. Depois de mais de um ano de "novela" o anúncio da decisão final da Justiça espanhola foi dada pelo próprio clube catalão, em entrevista às rádios Cardenas Ser e Catalunha.

"A essa altura todos vocês já sabem do arquivamento do processo que um "grupo de investimento" tentou mover contra minha família e minhas empresas na Espanha. Não comemoro a vitória por não entender ser uma vitória. Durante todos esses anos fazendo a gestão da carreira e da imagem de meu filho, entre tantos acertos, admito ter cometido um erro ao me envolver, cedendo os direitos econômicos do meu filho, com esse "grupo de investimentos" que tantos prejuizos causou a minha casa e minhas empresas. Atacaram minha família de todas as formas, as mais gananciosas e inescrupulosas possíveis. Levaram meu filho a Audiência Nacional na Espanha, um dos dias mais tristes da minha vida, processaram a mãe dos meus filhos, nos acusaram de corruptos e tentaram de todas as formas arranhar a imagem de nossas empresas. Me assusta saber que eles continuam no futebol "comercialmente". Sempre acreditei na justiça de Deus. Hoje fico satisfeito por ter sido feita a justiça dos homens. Mas, repito, não tenho o que comemorar… Vamos trabalhar !! "