Técnico abandona Argentina a um mês das Olimpíadas

A saída de Tata Martino agravou a crise na AFA

O treinador da seleção argentina, Tata Martino, pediu demissão do cargo e deixou a Albiceleste sem comando faltando menos de um mês para o início das Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

 

Com passagens por Newell's Old Boys e Barcelona, o técnico havia assumido a Argentina após a Copa do Mundo de 2014 e chegou à final de duas edições de Copa América, mas perdeu ambas para o Chile nos pênaltis.

 

A última delas acabou contribuindo para a decisão de Martino, mas sua relação com a Associação de Futebol da Argentina (AFA) já vinha se deteriorando. A entidade passa por uma grave crise institucional, com trocas de comando e denúncias de desvios de dinheiro, e vinha atrasando salários da comissão técnica.

 

Além disso, a possível debandada de astros da seleção, começando por Lionel Messi, e a dificuldade em escolher jogadores para as Olimpíadas culminaram na renúncia de Martino. A AFA ameaçou até não levar um time para a Rio 2016, já que 18 dos 35 nomes que constam de uma pré-lista não receberam liberação de seus clubes.