Clássicos terão torcida única em São Paulo até o fim do ano

Os clássicos paulistas terão torcida única até o final de 2016. Em reunião realizada na Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), nesta segunda-feira, a Federação Paulista de Futebol (FPF) acolheu o pedido do Ministério Público (MP), feito após a ocorrência de diversos casos de confusão envolvendo torcidas de Palmeiras e Corinthians, que disputaram o Derby pelo Campeonato Paulista no último domingo, e optou por implantar medidas de curto prazo para combater a violência entre as organizadas já a partir da próxima fase do torneio estadual.

“Isso evitará a necessidade de a Polícia Militar fazer comboio e escoltar torcidas organizadas, o que permite um reforço no policiamento no entorno dos estádios”, afirmou o secretário de segurança Alexandre Moraes, após o encontro, que contou também com a presença de representantes do Poder Judiciário, da Polícia Militar e da Polícia Civil.

Outras duas medidas foram tomadas na reunião: os torcedores estão proibidos de levar para os estádios faixas, instrumentos, adereços e qualquer outro objetivo que os identifique como integrantes de torcidas organizadas. A última determinação foi que a venda de ingressos para membros das uniformizadas devem ser feitos através da internet, assim como ocorre com torcedores comuns, o que obrigaria uma identificação prévia de todos.

Segundo o vice-presidente da FPF, Fernando Enes Solleiro, os clubes serão notificados deste novo sistema de venda de ingressos e a medida já deverá estar em vigor no Campeonato Brasileiro.

Além das medidas, também foi anunciado a criação de uma “central” de polícia em dias de jogos, que ficará disponível para recolher denúncias de violência relacionadas à brigas de torcida.

As medidas emergências foram tomadas após a detenção de mais de 50 pessoas por confusões relacionadas ao clássico entre Palmeiras e Corinthians, no último domingo. Uma pessoa morreu após levar um tiro no coração em um dos confrontos, registrado em frente à Estação de Trem de São Miguel Paulista. Segundo a Polícia Militar, a vítima não participava da briga.

Durante a reunião, o secretário Alexandre Moraes afirmou que os torcedores que participaram das brigas no último domingo serão identificados e, além das medidas penais pelas quais irão responder, serão banidos dos estádios.