Reencontro! Santos projeta 1º duelo com Palmeiras após final

Palmeiras e Santos vão se reencontrar pela primeira vez desde a histórica decisão da Copa do Brasil de 2015. Neste sábado, às 17 horas, no mesmo Allianz Parque, o clássico será válido pela 5ª rodada do Campeonato Paulista, mas o clima e a rivalidade prometem ser tão acirrados quanto naquela final, mesmo que os santistas tentem apagar da memória a doída derrota nos pênaltis no último 2 de dezembro.

"Rivalidade tem. É Palmeiras e Santos. É clássico. Como nós temos com São Paulo e Corinthians. São nossos clássicos, nossos rivais da região. Mas não tem nenhum tipo de rusga, nada do ano passado. Isso ai já foi. Eles ganharam um título, nós ganhamos o outro", disse Victor Ferraz.

O lateral santista, porém, não esconde que sua finalização na trave logo aos 7 minutos de jogo, quando o placar ainda estava zerado, é algo difícil de superar até hoje.

"Cara, eu já me martirizei muito por aquilo ali. Eu acho que no momento tomei a decisão que tinha que tomar. Não tinha muito o que fazer. Uma pena não ter sido gol. Por um capricho, sei lá, Deus não quis... não sei. Mas ficar remoendo mais, não. Fica no passado", sentenciou, como se falasse para convencer a si mesmo.

O clássico será o primeiro grande teste do Santos nesta temporada. Por enquanto, a equipe de Dorival, longe de encantar, venceu Ponte Preta e Ituano e apenas empatou com São Bernardo e Novorizontino. E apesar de ter toda a semana para treinar e descansar, enquanto o rival da Capital terá seu primeiro compromisso pela Copa Libertadores de 2016 nesta terça, no Uruguai, Ferraz não vê o alvinegro em vantagem.

"Eu vou ser bem sincero. Eu acho que não. Por ser um clássico, por ser contra o Santos. A gente fez as últimas duas decisões em competições de mata-mata. Acho que independente deles ganharem o jogo de 5 a 0 ou perderam de 5 a 0 (pela Libertadores), vai ser um jogo muito palheiro (pelo Paulista)", opinou.

Se o Santos não vive uma fase de grandes apresentações, o Palmeiras também não começa o ano empolgando seu torcedor. No último sábado, inclusive, caiu diante do Linense em pleno Allianz. Victor Ferraz admite que acompanha o rival de perto e, mesmo com tantas novas contratações, o santista enxerga o Palmeiras sem grandes mudanças.

"Contrataram, mudaram alguns setores, mas o estilo de jogo é bem parecido. O Palmeiras tem um jogo de mais imposição do que técnica. Eles fazem muita ligação direta e brigam pela segunda bola", explicou, antes de dar uma pista de como o Santos tentará se comportar na casa alviverde para construir um resultado diferente ao da Copa do Brasil.

"O torcedor brasileiro não tem muita paciência. Então, ele vê o adversário bastante com a bola, ele cobra e acaba deixando o time da casa nervoso. São alguns fatores que podem fazer a gente vencer o clássico", concluiu o lateral.