De saída, Jadson via entrosamento do Corinthians como diferencial na Libertadores

Com proposta do clube chinês de Vanderlei Luxemburgo, meia deverá ser baixa do Timão em 2016

Jadson deverá ser o primeiro titular do time hexacampeão brasileiro a deixar o Corinthians. Antes de aceitar a transferência para o chinês Tianjin Quanjian, no entanto, o meia que se destacou na última temporada apontava justamente o entrosamento do elenco de Tite como um diferencial para 2016. E já até fazia planos para a Copa Libertadores da América.

“Com o que ganhamos de entrosamento neste ano, temos tudo para brigar pelo título da Libertadores. Devemos manter pelo menos a base do elenco”, advertiu Jadson, dias antes de começar a negociar com o clube chinês do técnico Vanderlei Luxemburgo. “A Libertadores é um sonho para todos os jogadores. Sei que o nosso grupo está comprometido e focado para 2016.”

O foco de Jadson mudou a partir da possibilidade de praticamente triplicar o salário que recebe hoje, assinando um contrato válido por duas temporadas com o Tianjin Quanjian. Poder trabalhar ao lado de outros brasileiros e o fato de não ter sido convocado para a Seleção Brasileira até mesmo quando vivenciou o seu auge no Corinthians, aos 32 anos, também colaboraram com a decisão de sair.

A postura de Jadson é outra em relação ao primeiro semestre de 2015, quando ele recusou oferta do Jiangsu Sainty, também da China, para se manter em alta no Corinthians. “Na nossa profissão, a gente vive de escolhas e não sabe o que vai acontecer. Na época, a equipe estava jogando bem, então recusei a proposta. Aí, demos uma caída com as eliminações no Paulista e na Libertadores”, recordou.

A recuperação veio no Brasileiro. Um dos jogadores que mais se destacaram na conquista corintiana, Jadson acabou novamente valorizado. A ponto de fazer outro clube chinês se dispor a pagar ainda mais pelo seu futebol. “A valorização aconteceu com todo o mundo. Foi um ano muito bom para o grupo. Ganhamos corpo e o título no final do ano. Ser campeão brasileiro foi um sonho que realizei. O Tite e os meus companheiros são os responsáveis pela minha ascensão”, agradeceu.

O sonho de ser campeão da Libertadores não deverá ser realizado por Jadson. Do outro lado do mundo, restará a ele apenas torcer por seus ex-companheiros. “O Corinthians adquiriu aprendizado neste ano, mesmo perdendo o que disputou em formato de mata-mata. Não poderá mais vacilar”, comentou.

Sucessor

O Corinthians está muito próximo de contratar um substituto para Jadson. Trata-se de Marlone, que tem registro como atleta do Penapolense e disputou o último Brasileiro pelo Sport. O meia ganhou projeção no Vasco, clube que o revelou, porém não conseguiu se firmar quando defendeu Cruzeiro e Fluminense.