Federer bate Nadal na "final dos sonhos" e é campeão em casa

Foram necessários três sets para Roger Federer vencer a "final dos sonhos" contra Rafael Nadal. Empurrado pela torcida, o tenista da Basileia largou na frente e cedeu a virada, mas fez valer o posto de principal cabeça de chave para triunfar por 2 sets a 1 (6/3, 5/7 e 6/3), após 2h02 de embate, e erguer o troféu em casa pela sétima vez (2006, 2007, 2008, 2010, 2011, 2014 e 2015).

Foi a primeira vez que os craques se enfrentaram na Suíça. Federer aproveitou para diminuir a desvantagem histórica contra o rival e chegou à 11ª vitória em 34 partidas. O suíço não vencia o espanhol em uma decisão desde o ATP Finals de 2011. Foi a primeira decisão entre os tenistas desde o Masters 1000 de Roma, em maio de 2013. O último confronto havia sido na semifinal do Aberto da Austrália 2014. Em ambos, o espanhol levou a melhor.

Federer impôs o ritmo de jogo no início. Após salvar um break point, o número 3 aplicou a primeira quebra sobre o número 7 e abriu 3/2 de vantagem. Nadal tentou reagir, mas o suíço voltou a proteger seu saque e quebrou o saque do espanhol no nono game, fechando a parcial.

O segundo set foi acirrado. A primeira chance de quebra, a favor de Federer, veio no sexto game, mas Nadal salvou o break point e continuou lutando até quebrar o serviço suíço no 11º game. Sem tempo de reagir, o anfitrião viu o espanhol ir para a linha de fundo, abrir 40-0 no saque e deixar tudo igual no placar.

A parcial final também teve uma única quebra. No quarto game, Nadal salvou a primeira ameaça de quebra, mas não resistiu à segunda. Exibindo um saque potente, Federer quebrou o espanhol no oitavo game e ainda perdeu um match point antes de confirmar o serviço e assegurar o sétimo troféu em casa.

As estatísticas comprovam a superioridade do tenista da Basileia. Acertou 12 aces (Nadal zerou o fundamento), liderou em winners (44 a 21) e cometeu 32 erros, 12 a menos que o espanhol. Além disso, conquistou 75% dos pontos de primeiro serviço e 59% do segundo, enquanto o vice-campeão - que nunca havia chegado à final no piso rápido suíço - anotou 66% e 62%, respectivamente.