Em arrancada, Palmeiras bate Santos e cola no G-4

O Palmeiras está há seis jogos sem derrotas no Campeonato Brasileiro, mas esteve muito perto de perder essa série invicta, neste domingo, no Allianz Parque. O time alviverde enfrentou o Santos e venceu por 1 a 0, com gol de Leandro Pereira, mas jogou mal e sofreu muitos sustos. De qualquer forma, a torcida palmeirense saiu feliz porque o time está colado no G-4: tem 25 pontos, enquanto o quarto colocado Sport tem 27. Já o Santos segue na zona de rebaixamento com 13 pontos.

Graças a um gol marcado por Leandro Pereira no primeiro tempo, o Palmeiras venceu o Santos por 1 a 0 Leandro Pereira girou facilmente para cima de Werley e fez o gol O Palmeiras está a dois pontos do G-4 Arouca enfrentou mais uma vez seu ex-time e teve boa atuação Marcelo Oliveira colocou Gabriel Jesus e Lucas Barrios em campo, mas nada mudou

O clássico teve um primeiro tempo bastante equilibrado, mas com poucas emoções. O Santos ficou com mais posse de bola do início ao fim. Porém, faltou criatividade e objetividade para os jogadores transformarem isso em chances de gol. Os lances mais perigosos foram apenas em chutes de longa distância.

Já o Palmeiras mostrou mais uma vez a evolução do seu sistema defensivo, já que atuou recuado e conseguiu controlar os rápidos jogadores do Santos. E no ataque o time alviverde só acertou uma jogada, que bastou para abrir o placar, com gol de Leandro Pereira.

No segundo tempo aconteceram algumas mudanças sensíveis: a defesa palmeirense piorou, deixando mais espaços e cometendo erros individuais; e o ataque santista passou a ser mais perigoso, principalmente no final do jogo. Neto Berola fez uma bela jogada individual, mas chutou para fora. Gabriel teve uma chance de frente para o gol, mas Fernando Prass brilhou.

O Palmeiras contou com as entradas de dois jogadores que animam a torcida, como Gabriel Jesus e o recém-contratado Lucas Barrios. Mas nenhum deles fez algo de produtivo na frente. Sem atacar, só restou ao Palmeiras se defender para garantir a vitória no sufoco.