Copa de Futebol Americano acaba com Brasil em 7º e três jogadores entre os melhores

Na 1ª participação, Brasil perdeu para a Austrália mas colocou três jogadores na 'Seleção Mundial'

Disputando uma Copa do Mundo pela primeira vez, a Seleção Brasileira de Futebol Americano fez bons jogos, lutou até o último minuto, mostrou que tem um time forte e, de quebra, ainda colocou três jogadores (Gerson Santos, Igor Mota e Rodrigo Pons) na Seleção Mundial, mas terminou a competição apenas com a 7ª colocação. Mesmo com este resultado, a Confederação Brasileira e a comissão técnica consideram o feito positivo para a Seleção e para o crescimento do esporte no país.

“Estou orgulhoso! E apesar de não estar feliz com o resultado, nossa participação na competição foi importante para que todos conheçam o Brasil e saibam que, na próxima Copa do Mundo, vão enfrentar um time que luta até o final e que não maisé de novatos", afirma Danilo Muller, headcoach da Seleção Brasileira.

Durante a competição, a Seleção Brasileira perdeu o primeiro jogo para a França (31 x 06) – o que os deixou fora de qualquer chance de disputa por medalhas –, ganhou o segundo jogo contra a Coreia do Sul (28 x 00) e, em busca de classificação pela disputa de quinto lugar, perdeu o jogo contra a Seleção Australiana (16 x 08). Com este resultado, de acordo com o regulamento da competição, a Seleção Brasileira encerrava a sua participação no Campeonato Mundial, ficando com a sétima colocação, enquanto Austrália e Coreia do Sul (mesmo tendo esta última 2 derrotas) seguiam para a disputa de 5º lugar, na qual os australianos saíram vencedores. A medalha de bronze foi disputada por México (que ficou com o 3º lugar) e França (4º colocado), enquanto a final ficou por conta do hegemônico Estados Unidos (ouro) e Japão (prata).

Fora do último dia de jogos, a equipe brasileira foi ao estádio neste sábado somente para assistir aos jogos e confraternizar, mas, durante a cerimônia de premiação, uma grata surpresa: três jogadores brasileiros foram escolhidos para a Seleção do Mundo. No time principal, destacando-se entre os 24 melhores jogadores, o defensiveback Igor Mota (#14); e no Time B, estrelando entre os 50 melhores do mundo, o Linebacker Gerson Santos (Polamalu #59) e o WideReceiver recordista de Touchdows da seleção que anunciou sua aposentadoria durante a copa, Rodrigo Pons (Vinny #9).

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol Americano, CBFA, avalia que, sendo a Copa do Mundo um campeonato de nível bem mais alto do que é jogado no Brasil, mesmo terminando em último lugar a experiência foi bastante positiva, pois proporcionou aprendizado a todos os participantes, desde os jogadores até a diretoria da CBFA.

“Apesar do pouco tempo de prática do futebol americano no Brasil, a gente sentiu que nosso lugar não é onde a gente terminou de fato. Sentimos que tínhamos condição de estar num ponto mais alto da classificação final. Mas, com certeza, vamos levar nosso aprendizado de volta para o Brasil para melhorar o nível do futebol americano jogado lá, preparando-nos para voltar daqui a quatro anos. Vamos tentar participar de outras competições internacionais também, para subir o nosso lugar no ranking”, conta Gustavo Sousa, ainda empolgado com a participação brasileira. 

Sobre o regulamento da Copa do Mundo

O regulamento da competição previa queas equipes fossem divididas em duas chaves, de acordo com um ranqueamento previamente realizado pela Ifaf, baseado em competições internacionais: Na chave A estavam os três primeiros colocados do ranking (Estados Unidos, japão e México) e na chave B os quatro últimos (França, Austrália, Coreia do Sul e Brasil). 

O Canadá, que desistiu de última hora, estaria no Grupo A. Conforme esta classificação, classificar-se-iam para as disputas de medalha os três times do grupo A, independente de qualquer coisa, e somente uma equipe do grupo B – aquela que não perdesse nenhum jogo. Assim, Brasil e Coreia do Sul estavam fora da briga por medalhas desde o primeiro dia, quando perderam, mas continuavam a lutar pela quinta colocação. E a Austrália, após perder para a França, entrou neste grupo que disputaria de 5º a 8º. Já os franceses seguiram na disputa por medalhas.

O curioso é que, pela desistência repentina, a organização decidiu considerar o Canadá, perdedor em todos os jogos em que deveria estar (como se fosse um W.O.). Assim, mesmo ganhando o jogo contra a Coreia, o Brasil ainda teve que disputar com a Austrália uma vaga na partida que definiria o 5º e 6º lugares e, como perdeu, ficou com a 7ª colocação automaticamente. Enquanto isso, a Coreia do Sul, que havia perdido para o Brasil, teoricamente, venceu do Canadá por W.O. e se classificou automaticamente para o jogo de sábado, que definiria a 5ª colocação do torneio.  

O mesmo aconteceu com o México, que perdeu todos os jogos, mas “ganhou” do Canadá por W.O. e ainda foi beneficiado por fazer parte do grupo A, indo direto para a disputa do bronze. A próxima Copa do mundo está prevista para 2019, ainda sem local definido.