Atleticanos festejam em praça: "foi melhor que Libertadores"

Como o Atlético-MG era visitante no Mineirão, a torcida alvinegra esteve em pouco número no estádio, com cerca de 1.800 pessoas, para ver a vitória contra o Cruzeiro, na final da Copa do Brasil. Mas o título fez com que as pessoas saíssem das suas casas ou dos bares e se reunissem para comemorar durante a madrugada. O principal ponto de festa aconteceu na Praça Sete de Setembro, onde foi fácil encontrar atleticanos empolgados até demais. Muitos deles inclusive disseram que o título da Copa do Brasil foi melhor do que vencer a Copa Libertadores no ano passado.

É claro que essa sensação só existe porque o adversário da final foi Cruzeiro, que tinha garantido o título do Brasileiro no último domingo. "Não tem preço ver eles tristes hoje, logo depois de serem campeões. Isso nunca vai ter igual", afirmou Danilo Corpen, aos berros, no meio da festa atleticana.

Danilo e outros sete atleticanos ouvidos pelo Terra concordaram que a conquista da Copa do Brasil tem um sabor melhor que o título da Copa Libertadores. Quatro discordaram e mais dois não souberem responder. Não chega a ser uma amostra científica, claro, mas mostra como o atleticano encara e valoriza esse título.

"A festa vai ser hoje, amanhã, a semana toda. Agora a gente tem que comemorar mais do que eles comemoram. E a gente vai, porque a torcida do Galo é de verdade, é mais maluca", orgulhou-se Alberto Aran, um dos vários torcedores que subiram no obelisco da Praça Sete de Setembro.

Um amigo dele, Heitor Combelo, seguiu a mesma linha: "agora as 'marias' (apelido ofensivo dos cruzeirenses) vão ver o que é festa. Não vamos deixar eles em paz. Na Libertadores não dava para fazer isso com o Olimpia, agora tem que aproveitar".

Entre os mais cautelosos estava um advogado, Teobaldo Crispin, que só assistia à festa, sem cantar nem pular tanto. "Não dá para comparar (Libertadores com Copa do Brasil). Um é título internacional. O outro é nacional e contra um time daqui de Minas Gerais. É muito diferente", afirmou ele, que se assustou quando foi informado que muitos atleticanos estavam afirmando o contrário.

Só houve unanimidade quando os torcedores disseram por que o Atlético-MG ficou sem perder para o Cruzeiro em 2014. Todos entrevistados usaram a palavra "freguês" para detonar o Cruzeiro. Heitor foi além: "vamos ganhar dos fregueses na final da Libertadores do ano que vem. Aí sim vai ser perfeito".

Jogadores "se escondem" em festa

Depois da festa no Mineirão, os jogadores foram para outro estádio, o Independência, que já virou a casa do Atlético-MG. Durante o jogo, o local tinha ficado aberto para torcedores verem o jogo em um telão instalado no local. Cerca de 5 mil pessoas foram para lá, fizeram uma rápida festa e depois se espalharam pela cidade. Os jogadores do Atlético-MG só chegaram depois que eles foram embora e fizeram uma comemoração escondida: entraram no estádio e fecharam as portas para a imprensa e para o resto de torcedores que ainda estavam nas proximidades.