Judô: Minas é tricampeão do Grand Prix Nacional Interclubes Feminino

A nona edição do Grand Prix Nacional Interclubes Feminino, disputada em São José dos Campos, neste final de semana, colocou o Minas Tênis Clube no topo da galeria de campeões. Com a vitória sobre o Instituto Reação por quatro a um na decisão, o clube de Belo Horizonte chegou ao terceiro título do torneio, se tornando o maior campeão – Sogipa e A.D. São Caetano têm dois títulos. Ainda neste domingo, a Sogipa venceu o Pinheiros por quatro a um e garantiu a medalha de bronze.

“A equipe é muito homogênea e experiente em disputas de Grand Prix. Nos três títulos tivemos Érika, Ketleyn, Mariana e Idalis, que já faz parte da família. Acredito que o nosso segredo é sempre ir com calma, nunca pensando na final, pensando a cada confronto. Tem dado certo dessa forma”, disse o técnico Floriano Almeida.

A decisão começou com um confronto com nível de seleção brasileira. Érika Miranda, medalhista de bronze no Mundial Chelyabinsk 2014, enfrentou a sua reserva Raquel Silva, venceu apertado, por ter tido uma punição a menos, e colocou o Minas na frente. Na luta seguinte, Ketleyn Quadros, medalhista de bronze nos Jogos de Pequim 2008, lutou com Giullia Penalber. Outro confronto equilibrado que foi decidido apenas no golden score, quando a atleta do Reação recebeu uma punição por falso ataque.

Na terceira luta, uma surpresa. A campeã mundial no leve em 2013, Rafaela Silva, foi escalada no meio médio para enfrentar Mariana Silva. E com um estrangulamento marcou o primeiro ponto do Reação, mantendo a equipe viva na briga pelo ouro. Bárbara Timo e a alemã Anne Lisewski também fizeram uma luta equilibrada e dura que só foi decidida no final, quando a atleta do Reação, em desvantagem no placar por causa de uma punição, deu oportunidade para que Bárbara a projetasse e conseguisse um wazari. A vitória do Minas estava decretada. Idalis Ortiz e Tuany Siqueira fizeram a última luta que terminou de maneira triste. Ao projetar a brasileira, a cubana acabou caindo sobre a perna de Tuany, que sofreu uma grave lesão e terá que passar por uma cirurgia. 

“Foi um esforço de todos, de uma equipe muito unida, muito coesa. Em alguns pesos, sabíamos que os adversários eram mais fortes, mas sempre tivemos a garra, a vontade, o espírito do guerreiro, do samurai. Isso sempre imperou entre as meninas e elas são as grandes campeãs e vencedoras. Essa prata em um campeonato com nível tão alto e equipes tão fortes, vale ouro”, disse o técnico do Reação, Geraldo Bernardes.

No primeiro confronto do dia, Sogipa e Pinheiros se enfrentaram para ver quem conseguiria chegar ao pódio. Na primeira luta, Eleudis Valentim colocou o Pinheiros em vantagem ao vencer Milena Mendes. No duelo seguinte, uma surpresa. Giovanna Pernoncini, que está no primeiro ano da categoria juvenil, conseguiu um ippon sobre Flávia Gomes, reserva de Rafaela Silva e Ketleyn Quadros na seleção sênior, e deixou tudo igual.

No terceiro embate, a francesa Sarah Loko marcou o segundo ponto da Sogipa depois de vencer Dione Lima por dois yukos. Em outro confronto entre atletas de seleção, Maria Portela conseguiu um ippon sobre Nádia Merli e decretou a vitória da Sogipa. Rochele Nunes ainda conseguiu um wazari na luta contra Sibilla Faccholli e definiu o placar em quatro a um.