Filipe Luís rejeita "oba-oba" da Copa e exalta líder Neymar 

Titular absoluto com Dunga nos cinco jogos que disputou, Filipe Luís é só sorrisos ao falar de Seleção. O lateral esquerdo do Chelsea elogiou o método de trabalho do novo treinador e disse que prefere manter a humildade ao invés do discurso usado pela comissão técnica anterior durante a Copa do Mundo – Felipão sempre colocava o Brasil como favorito, e Parreira chegou a dizer que o time estava com a "mão na taça". Filipe, aliás, não participou do torneio, já que Scolari preferiu Marcelo e Maxwell para a posição.

"É uma maneira de adotar pensamento positivo, talvez eles optaram por falar e trazer positivismo para o povo. Mas acredito que traz um pouco de antipatia com o mundo. O brasileiro gosta de escutar, mas o mundo não estava torcendo para o Brasil como estava em 2002. Não acho que nenhuma maneira esteja certa ou errada, mas gosto de pregar sempre a humildade porque você traz a simpatia de todo mundo e consegue que os jogadores sejam humildes, pensem mais no coletivo", avaliou o camisa 6.

Nos treinos da Seleção em Viena, onde o time pega a Áustria em amistoso na próxima terça-feira, tem chamado atenção a proximidade entre Filipe e Neymar. O lateral sempre brinca com o novo capitão brasileiro, e um ensaia dribles contra o outro até quando a atividade está parada. Para o jogador do Chelsea, é uma forma não só de fortalecer a amizade, mas de "treinar brincando".

"O Neymar é uma pessoa que o que você vê na TV é o que ele é realmente. Não é uma figura feita pela mídia, a humildade dele é grande com todo mundo. Tenho uma relação especial com ele porque gosto muito de defender contra ele, a gente se enfrentou bastante quando eu estava no Atlético (de Madrid). Acho que ele exige o máximo de um defensor, no 1 contra 1 acredito que ele é o cara mais difícil para parar. Ao mesmo tempo em que é uma brincadeira, eu melhoro meu treinamento, e ele vai treinando o drible dele. Acho que tudo soma para a amizade fora e dentro de campo, e também pra melhorar profissionalmente".

Filipe também exaltou a qualidade de liderança de Neymar, que herdou a braçadeira de capitão do zagueiro Thiago Silva sob o comando de Dunga. "Ele já é um líder com 22 anos, e isso diz muito sobre a pessoa dele. Sei que ele não gosta de perder, deve ter ficado bravo com a lambreta", brincou o lateral, referindo-se a um drible aplicado por ele sobre o atacante do Barcelona em um treino. "Mas é perigoso brincar com ele, porque a qualquer momento ele pode devolver".