Para Dunga, aplauso de rival mostra Brasil no caminho certo

Os aplausos para a Seleção Brasileira e principalmente a festa da torcida da casa para Neymar após a vitória por 4 a 0 sobre a Turquia, nesta quarta-feira, em Istambul, deram ao técnico Dunga a confirmação de que o time verde-amarelo está no caminho certo. Após a quinta vitória em cinco jogos sob o novo comando, a equipe brasileira saiu do Estádio Sukru Saracoglu ovacionada pelos fanáticos turcos, que admitiram a superioridade dos adversários.

"Nós ficamos contentes pelo futebol brasileiro ser reconhecido como equipe", disse Dunga. "Nos dá orgulho, jogar em um estádio cheio e o torcedor no final aplaudir os jogadores brasileiros, como Neymar, Willian, Miranda, Filipe (Luís) a cada jogada, Douglas (Costa) que entrou no segundo tempo, (Philippe) Coutinho, Luiz Adriano... todos os jogadores tiveram seu momento durante a partida. Todos têm que se sentir muito felizes de estar na Seleção, independente se jogam ou não".

Com o time apresentando um bom padrão de jogo, com mais toque de bola no meio campo, menos chutões da defesa e combinações envolventes entre os atletas de frente, Dunga tem batido constantemente na tecla do "coletivo". Após a partida, o treinador novamente preferiu generalizar a boa atuação da equipe ao invés de comentar sobre nomes individuais, como quando foi perguntado sobre os desempenhos de Fernandinho e Willian.

"Acho que não só eles, mas todos que entraram no campo conseguiram reproduzir aquilo que jogam nos seus clubes. Lógico que alguns tiveram mais tempo, outros menos, mas mostraram a qualidade que eles têm, e se abriu mais o leque ainda. Isso facilita o trabalho, e daqui para frente vamos poder outras vezes colaborar com os times brasileiros, chamando só os jogadores de fora. Isso é bom", avaliou Dunga.

A Seleção Brasileira viaja na noite desta quinta-feira para a Áustria, onde enfrenta a seleção local na terça-feira, dia 18 de novembro. Será a sexta partida de Dunga desde seu retorno à equipe nacional. Até o momento, foram cinco vitórias, com 12 gols marcados e nenhum sofrido.