Cruzeirenses se mostram chateados com punição "injusta" 

A punição dada a Atlético-MG e Cruzeiro de um mando de campo mais R$ 50 mil por causa dos problemas de seus torcedores no clássico no mês passado, deixou os torcedores cruzeirenses chateados. Vários acreditam que a situação é injusta e culpam a Polícia Militar por não conseguir dar a segurança correta.

O arquiteto, Cristiano Fonseca, não concordou com a punição e culpa somente a torcida do Atlético-MG pelos problemas no clássico. “Acho injusto, foi claramente uma ação de vândalos atleticanos, a torcida do Cruzeiro se comporta bem, é injusta a punição, é responsabilidade da PM, o clube não tem como combater”, ponderou o cruzeirense que esqueceu, porém, que em 2013 torcedores celestes causaram vários problemas.

O engenheiro, Marconi Dimitrovi, disse que estava próximo do local que as bombas foram atiradas e tentou alertar homens da Polícia Militar, mas não teve sucesso. “Estou indignado, eu estava aqui no jogo, estava do lado da PM, a polícia ignorou bombas do nosso lado, provavelmente entraram no campo com as bombas, se pensar a culpa é da polícia, eles têm que revistar, o mando de campo é do Cruzeiro, mas a responsabilidade era da PM que deixou entrar no estádio”, confirmou.

Mais ponderado estava o empresário, Guilherme Amadre. Ele acha que a punição foi correta, mas não está contente em ter que perder o jogo de seu time do coração por causa de alguns torcedores.

“Como torcedor do Cruzeiro é triste aceitar uma punição dessa, pessoas desse tipo infelizmente fazem essas coisas e ocorre isso. Ao meu ver foi justa, mas é lamentável que algumas pessoas cheguem ao estádio para causar confusão, eu fico chateado, é uma punição que dá prejuízo para o time, não somente financeiro, mas também moral”, disse.

Amadre defende a possibilidade de banir as torcidas organizadas dos estádios. “Tem que saber lidar com isso, não será a última, tem que banir as torcidas organizadas”, finalizou.

O Cruzeiro entra em campo na noite desta quarta-feira, no Mineirão, pela Copa do Brasil, em duelo contra o ABC.