Em nota, CBF lamenta morte de Nilton Santos: "futebol ficou mais pobre"

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) emitiu, no fim da tarde desta quarta-feira, uma nota oficial na qual lamenta a morte do ex-jogador da Seleção Brasileira Nilton Santos, que veio a óbito nesta quarta no Rio de Janeiro. Através do site oficial, a entidade que comanda o futebol nacional classificou que o fim da vida do idolatrado ex-lateral deixou o "futebol brasileiro e mundial mais pobre". 

Além de prestar condolências à família de Nilton Santos, a CBF traçou uma pequena biografia do jogador, que foi considerado pela Fifa o melhor lateral esquerdo da história do futebol. As qualidades do bicampeão mundial com a Seleção Brasileira (1958 e 1962) foram reverenciadas também por José Maria Marin, que lembrou ter visto o atleta atuar. 

"Tive o privilégio de ver o Nílton Santos jogar. Um dos maiores do mundo, de todo os tempos, mesmo sendo zagueiro e lateral. Jogava um futebol de elegância e técnica, tinha talento de sobra. O futebol brasileiro está de luto e já decretei a observância de um minuto de silêncio em todas as partidas das competições organizadas pela entidade", comentou o principal dirigente do esporte nacional.

Antes ainda nesta quarta-feira, a CBF já havia prestado solidariedade aos operários Fábio Luiz Pereira e Ronaldo Oliveira dos Santos, que foram vítimas de um acidente nas obras da Arena Corinthians, palco de abertura da Copa do Mundo de 2014. O minuto de silêncio nas partidas realizadas pela confederação nacional também será estendido a ambos.