Felipão diz que tem 25 nomes para Copa e observará jogos da Europa

O técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, afirmou nesta segunda-feira que tem uma lista quase fechada, de 25 nomes, da qual escolherá os 23 jogadores que irão à Copa do Mundo de 2014. Porém, deixou aberta a possibilidade de dar chance a atletas que ainda não foram testados, destacando que vai assistir pessoalmente a mais três partidas na Europa em 2013.

"Hoje, se eu fosse pensar em mexer, riscar, eu tenho 25 para levar. Não tenho dúvida, tenho gente a mais agora. Tenho que tirar dois, já passou dos 100%", afirmou Felipão durante evento em São Paulo, lembrando que ainda pode haver surpresas na convocação final, que acontece em 7 de maio do ano que vem.

"Eu ainda vou ver três jogos na Europa no final do ano, e um dos jogos é com jogadores novos. Tenho que observar a reação desses jogadores, as equipes, pode ser que tenha alguma novidade ainda. Lembro que em 2002 o Kaká nunca tinha sido convocado. Se tiver algum jovem com futuro para a Seleção, pode ter a oportunidade", declarou.

As "dores de cabeça" de Felipão provavelmente atendem pelos nomes de Robinho e Willian. O atacante do Milan e o meia do Chelsea agradaram bastante o técnico nos amistosos contra Honduras e Chile, e abriram novas possibilidades táticas na equipe - Robinho foi testado no comando do ataque, enquanto Willian pode ocupar qualquer posição ofensiva do meio-campo.

Quem perdeu espaço foi Lucas, do Paris Saint-Germain. Já Fred seria titular, mas convive com problemas físicos e preocupa a comissão técnica. Antes da convocação final, Felipão terá mais um amistoso, contra a África do Sul, em 5 de março. Depois, a equipe nacional ainda deve fazer mais dois jogos preparatórios, a serem definidos.

"Vou ver alguns jogos para ver se acrescento mais um ou dois. Todos os que ainda sonham com essa possibilidade (convocação), continuem jogando, que eu continuo observando, o Parreira, o Murtosa. Nós conversamos muito sobre possibilidades, formas de jogar, e a chance pode aparecer", encerrou Felipão.