Em crise, Santos busca empate e Corinthians perde chance de ir ao G-4

No primeiro jogo do Santos após a goleada por 8 a 0 sofrida contra o Barcelona na semana passada, que culminou em intensa crise no clube, a equipe alvinegra conseguiu empatar contra seu maior rival, o Corinthians, por 1 a 1 nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, em duelo válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. O placar serviu para, de certa forma, aliviar a tensão que ronda a agremiação local nos últimos dias.

O resultado impediu a terceira vitória seguida do Corinthians na competição e evitou que o clube ingressasse no G-4. Agora com 18 pontos, a equipe do Parque São Jorge estacionou na oitava colocação e perdeu boa chance de aproveitar o momento delicado em que seu adversário desta quarta se encontra.

O Santos, por sua vez, chegou aos 13 pontos e parou no 14º posto do Nacional, em uma posição delicada e a três pontos da zona do rebaixamento. O próximo duelo do time será contra o embalado Cruzeiro no domingo, no Mineirão. Já o Corinthians recebe o Vitória no mesmo dia, no Pacaembu, e tentará novamente encostar nos líderes.

O jogo

Em busca de seu terceiro triunfo consecutivo no Campeonato Brasileiro, o Corinthians repetiu os jogadores que havia mandado a campo diante do Criciúma no último domingo. Emerson, que poderia jogar, acabou de fora por suspensão. Já o Santos fez mudanças. Sutis, é verdade. Claudinei Oliveira preservou os veteranos como titulares, mas Cicinho jogou desde o início pela primeira vez. Alison também ganhou oportunidade no lugar de Leandrinho.

Depois de atuação apática contra o Barcelona e uma onda de pessimismo, o Santos foi a campo com entusiasmo. Mostrou raça desde os primeiros lances, mas logo ficou evidente a capacidade corintiana. Com 3min de jogo, Romarinho bateu escanteio, Danilo escorou e Paulo André, totalmente livre, escorou para o gol vazio. Durval falhou na jogada.

O restante da primeira etapa foi um samba de uma só nota. O Santos rondou a área do Corinthians, que por vezes teve até Guerrero próximo dos volantes para marcar. Com liberdade pela presença de Alison, Arouca tentou auxiliar Montillo na articulação de jogadas. E a melhor chance santista foi em bola rebatida que voltou justamente nos pés de Arouca. Mas ele isolou.

Os corintianos desprezaram o momento absolutamente superior, técnico, físico e principalmente moral. Era possível forçar o jogo para tentar resolver a vitória com rapidez, mas a equipe só chegou mesmo em contra-ataques. Teve um bom lance com Fábio Santos, outro com Renato Augusto e uma chance real aos 30min. Romarinho ganhou de Léo, chutou firme, mas Aranha pegou.

O Corinthians retornou para o segundo tempo com Alexandre Pato no lugar de Guerrero, lesionado, mas com a mesma estratégia. O Santos, com Leandrinho no lugar de Alison, e também o mesmo ímpeto. Montillo desperdiçou boa chance aos 3min, mas se redimiu aos 9min. Bem no jogo, o argentino abriu espaço às costas de Fábio Santos e Willian José venceu Cássio na conclusão.

O Santos sentiu o momento positivo e, confiante, se mandou à frente para tentar virar sobre um sonolento Corinthians. Criou ótimas chances com Willian José, Neílton e Edu Dracena. Tite percebeu e tentou mudar o panorama com Douglas e Ibson nos lugares de Danilo e Romarinho. Pouco depois, porém, ficou dez contra dez. Neílton e Gil se estranharam e, Paulo André e Willian José, no meio da confusão, acabaram expulsos.

A partir daí, o jogo ficou mais truncado no meio de campo, com ambos os times buscando ataques em velocidade e pecando na hora do último passe. O Corinthians desperdiçou boas chances de contra-ataque, principalmente com erros de Douglas, e perdeu a chance de fazer o segundo. Assim, o clássico se encaminhou para empate por 1 a 1 entre os dois principais alvinegros paulistas.