Exposição de taça em BH atrai torcedores e provoca vaias a cruzeirenses

A taça que a Conmebol entregará ao vencedor da Copa Libertadores da América nesta quarta-feira está em exposição no Mercado Central de Belo Horizonte. O troféu atraiu diversos curiosos – principalmente torcedores do Atlético-MG, que decide a competição com o Olimpia (Paraguai) no Estádio do Mineirão.

Cerca de 200 curiosos compareceram ao local em um primeiro momento. Apesar da presença majoritária de alvinegros, alguns cruzeirenses também visitaram a taça – e não escaparam de vaias, ofensas e provocações dos torcedores finalistas da competição.

Um dos alvos foi Evandro Freitas, que não vê chances de título atleticano na Copa Libertadores. “A desvantagem do Atlético é grande, e o Olimpia é tricampeão. O Galo não tem chance de ganhar essa. Não é Carnaval, mas vai ter Salgueiro na avenida”, brincou Evandro, em referência ao atacante olimpista Juan Manuel Salgueiro.

Seu filho, Evandro Jr., ironizou os registros feitos pelos rivais com a taça da Libertadores. “O que os atleticanos vão fazer com as fotos que eles tiraram hoje com a taça? Depois de quarta-feira, pode apagar tudo”, provocou. “O Galo está nesta Libertadores ganhando experiência. Quem sabe daqui mais alguns anos eles não ganham?”, completou.

O Atlético-MG luta contra uma derrota por 2 a 0 no primeiro jogo das finais, no Estádio Defensores del Chaco. Os dois times se enfrentam no Estádio do Mineirão, nesta quarta-feira. Para conquistar o título, o time mineiro precisa vencer por três ou mais gols de diferença – vitória atleticana por dois gols leva a decisão para os pênaltis.

Entre os torcedores da equipe comandada por Cuca, a derrota no Paraguai não diminuiu o otimismo. O servidor público Marcos Peres, que levou os filhos Filipe, Caíque e Bruna, respondeu à provocação de Evandro Jr..

“A gente vai ganhar, depois vai postar a foto em redes sociais, emoldurar e ainda tirar onda com os cruzeirenses”, assegurou, otimista com a possibilidade de vitória. “Dá para virar, sim. Vai ser 4 a 0”, previu.

O otimismo foi semelhante ao do cozinheiro Francisco Rodrigues. “O Galo vai virar essa. Não vamos morrer na praia, chegar tão longe e perder”, disse Francisco. Seu filho, Antônio Mario, conseguiu uma as miniaturas da taça que são distribuídas no mercado.

A taça original fica no Mercado Municipal até o dia do jogo, quando será entregue ao campeão da Copa Libertadores da América. O clube vencedor fica com o troféu por três meses, até receber uma réplica da Conmebol.