Liga Mundial: Brasil abusa dos erros, mas vence França em São Paulo

Uma vitória que parecia bem encaminhada após cerca de 1h de partida ganhou contornos dramáticos para a Seleção Brasileira nesta sexta-feira, no Ginásio do Ibirapuera. A equipe comandada por Bernardinho abriu 2 sets a 0 contra a França, mas permitiu reação que levou a partida ao tie-break. No final, o time não decepcionou em casa e terminou com a vitória por 3 a 2, parciais de 25/20, 25/19, 22/25, 21/25 e 15/12.

Assim, a Seleção chega aos 13 pontos ganhos, podendo perder a primeira posição para a Bulgária, que enfrenta os Estados Unidos na rodada. Os franceses, por sua vez, têm sete pontos, aparecendo na quarta colocação. As duas seleções voltam a se enfrentar neste sábado, às 10h (de Brasília), mais uma vez no Ginásio do Ibirapuera.

Lucarelli terminou como o grande destaque de uma Seleção que errou muito, a ponto de comprometer uma vitória que parecia fácil. O jogador fez 21 pontos, 16 deles de ataque. Mas foi Leandro Vissotto, virando três bolas seguidas no tie-break, quando o Brasil estava atrás no marcador, que levou o time à vitória - terminou com 15 pontos, e Lucão, o melhor bloqueador, que fechou o jogo.

A seleção europeia tentou complicar no começo do jogo, quando esteve à frente do placar durante parte inicial do primeiro set, mas a virada veio com o encaixe do jogo brasileiro: 25 a 20 em 26min de confronto. A segunda parcial foi mais tranquila: o Brasil chegou a ficar atrás, mas se recuperou para fechar após 28min, mantendo o embalo.

Então, a partida mudou. Na terceira parcial, os franceses voltaram a complicar, chegando a virar em 20 a 16, para irritação do técnico Bernardinho. A Seleção embalou uma reação na reta final, mas um erro fechou o set: William Arjona pisou na linha no momento do saque: 25/22 para a França. Passou a ser importante para o Brasil fechar o jogo na parcial seguinte para conseguir os três pontos – em casos de 3 sets a 2, o derrotado leva um ponto e o vencedor, dois.

O partida, então, continuou complicada, com os franceses constantemente à frente no placar e errando cada vez menos. Chegaram a abrir 19 a 16, enquanto Bernardinho fazia seguidas pausas técnicas para tentar inverter o jogo. Mesmo assim, o bloqueio não funcionou, o ataque errou, e os franceses empataram o confronto. A partida seria decidida no tie-break.

Novamente, o Brasil abusou dos erros – principalmente no saque. Vissotto, no entanto, entrou novamente na partida, passando a virar importantes bolas para manter o time próximo dos franceses no placar. Quando a França tinha 12 a 10, o bloqueio se reforçou e passou a conter os ataques adversários. A virada veio em uma bola para fora, em um dos poucos erros franceses. A vitória foi confirmada em bloqueio de Lucão.