Brasil fatura cinco ouros no primeiro dia do Continental Cup de San Salvador

O primeiro dia do Continental Cup de San Salvador, capital de El Salvador, foi excelente para os brasileiros. Foram sete medalhas ao todo, sendo cinco de ouro e duas de bronze. As mulheres foram os grandes destaques já que conquistaram três ouros e um bronze. As medalhas douradas vieram com Nathália Brigida, Raquel Silva e Flávia Gomes. Mariana Silva ficou em terceiro.

“Esse título foi mais uma passo na minha busca por espaço na categoria. A competição foi dura mas consegui sair com um bom resultado e mais experiente depois dessas duas semanas de competições e treinos”, disse Nathália, lembrando que a concorrência dentro da seleção é grande já que o Brasil conta com nomes como Sarah Menezes e Gabriela Chibana, ambas top 16 do mundo.

Outro que confirmou a boa fase foi Eric Takabatake. Assim como Brigida, o jovem atleta que havia ficado com a prata no Grand Prix de Miami no último final de semana também subiu um degrau no pódio e faturou o ouro na competição da América Central. “Estou muito feliz com essa fase que estou passando e tenho certeza que isso é resultado do trabalho de todos os profissionais que me ajudam todos os dias. Espero que ela dure bastante tempo para que eu possa trazer mais medalhas para o Brasil”, disse Eric.

Na categoria até 66kg, a disputa entre brasileiros foi intensa. Charles Chibana (66kg) venceu Leandro Cunha na decisão da chave e acabou faturando o ouro. Depois, o “Coxa” passou por Luiz Revite na decisão do bronze.“A luta com o Coxa foi a mais difícil. Foram cinco minutos de luta, os dois entrando golpes, uma luta aberta que foi decidida nos detalhes. Estou muito feliz por ter conseguido cumprir meu objetivo mesmo lutando com uma pequena lesão no joelho”, disse Chibana.

“Eu fiquei praticamente cinco meses afastado das competições por causa de uma lesão e estou muito satisfeito, não só pela medalha mas, principalmente, por ter voltado a competir em alto nível. Ainda não estou cem por cento mas acredito que estou no caminho certo em busca de novos objetivos”, disse Leandro Cunha, duas vezes prata em Mundiais.

“O desempenho brasileiros foi muito bom. Como técnico da equipe masculina, destaco o Chibana que venceu três lutas por ippon, inclusive a final”, disse Fulvio Miyata.