Léo Moura é referência para mim, diz jovem lateral Digão

A história do lateral direito Digão no Flamengo começou há 12 anos, quando ele chegou ao clube para jogar na categoria fraldinha do futsal. Foi crescendo dentro da Gávea, passou para o campo e, hoje, treina entre os profissionais daquele que é o seu clube de coração. O lateral Léo Moura passou a ser seu companheiro, mas, para Digão, o jogador de 34 anos ainda é muito mais que um simples parceiro de treinamento.

"Converso muito com Léo Moura porque ele me dá muita abertura para falar com ele. É uma referência para mim. Não só como atleta, mas também como pessoa. Ele sempre me diz que treinar com os profissionais já foi o primeiro passo. Agora, preciso trabalhar ainda mais para dar o segundo passo, que é jogar", falou Digão. 

Digão tem 20 anos e é jogador dos juniores do Flamengo. Mas como o Sub-20 do Rubro-Negro está de férias e o lateral vem apresentando um excelente futebol em 2013, Jorginho o chamou para treinar com o time de cima após o segundo jogo da final do Campeonato Carioca de juniores, há duas semanas e meia. Além dele, o goleiro Luan, o zagueiro Samir e o meia Thomás também treinam com os profissionais e ainda não sabem se voltam ao Sub-20 após o recesso do grupo dessa categoria.

"Essas últimas semanas foram muito boas. Estou muito feliz pela oportunidade e só tenho a ganhar treinando no time de cima. Tenho me esforçado bastante e estou aproveitando as chances que estou tendo nos jogos-treinos, dando o meu máximo para conseguir me manter no profissional", disse Digão.

Em 2013, Digão já recebeu de Jorginho uma chance de começar um jogo como titular. Foi no dia 20 de abril, quando o Rubro-Negro bateu o Macaé por 3 a 1 no Campeonato Carioca. Mas a sua estreia no profissional já aconteceu há mais de um ano. No dia 21 de janeiro de 2012, o então técnico Vanderlei Luxemburgo colocou o garoto em campo no segundo tempo de uma goleada do Flamengo de 4 a 0 sobre o Bonsucesso. Hoje, Digão espera por uma nova oportunidade em um jogo oficial.

"Não estou nervoso, mas fico ansioso pela segunda oportunidade que o Jorginho pode me dar de ir para um jogo. Ele tem conversado comigo e me elogiado muito. Também me passa confiança e me ajuda um pouco o fato de ele ter jogado na mesma posição que jogo", contou Digão.


Site do Fla