Marcelo e Hulk se salvam em noite de pouco futebol e ganham Felipão

Londres (Inglaterra) - Aos 44min, quando tudo parecia perdido para a Seleção contra a Rússia, dois jogadores que começaram a partida pressionados a mostrar futebol evitaram o pior. Hulk iniciou a jogada pelo meio e lançou Marcelo nas costas da zaga russa. O lateral cruzou para Fred marcar o gol de empate. O lance apenas evidenciou as atuações dos melhores brasileiro em campo em noite de pouco de futebol verde e amarelo.

Marcelo e Hulk não estão entre os jogadores que arrancam suspiros dos torcedores do País, mas com o bom desempenho diante dos russos passaram a ser nomes certos do técnico Luiz Felipe Scolari para a Copa das Confederações. Marcelo, em especial, praticamente garantiu um lugar no time idealizado por Felipão.

Reserva no Real Madrid desde que retornou de lesão e titular absoluto com Mano Menezes, o lateral havia perdido seu lugar cativo para Filipe Luís no duelo diante da Itália. Conhecido por sua vocação ofensiva e pelos espaços que costuma proporcionar ao adversário na defesa, Marcelo sabia que, com Felipão, seu futebol teria que ser mais equilibrado. E foi exatamente o que aconteceu.

"Todo mundo diz que o Marcelo ataca bem, mas que tem dificuldade de marcar. Fiquei até surpreso. O Marcelo estava mais equilibrado, pensando na equipe. Hoje ele se mostrou equilibrado. marcando quando precisava e atacando quando tinha que atacar. Ganhamos mais um jogador para essa posição, que é o Marcelo", disse Felipão.

Já Hulk vinha de uma atuação muito fraca como titular diante dos italianos. Deixou o time para a entrada de Kaká contra a Rússia, mas mudou a cara do jogo ao entrar no segundo tempo. Se não foi brilhante, ao menos foi mais incisivo, buscou o jogo e criou a melhor jogada brasileira nos 90 minutos.

Se ainda encontra grande resistência no Brasil, o atacante é homem de confiança dos treinadores. Já era assim como Mano Menezes, será desta maneira com Felipão. A vaga de titular ainda parece muito para Hulk, mas seu futebol explosivo é capaz de efeitos positivos como o de segunda. Dificilmente o treinador brasileiro abrirá mão de ter o atacante como opção.

Do restante do time da noite de pouco futebol apresentado contra os russos, Oscar, Fred e Júlio César também tiveram regularidade e confirmaram suas condições de titulares absolutos de Felipão. O centroavante praticamente não tocou na bola, mas mostrou o oportunismo desejado a um camisa 9.