Contrariado, Lúcio analisa substituição: 'quando saí, estava 0 a 0'

O zagueiro Lúcio não gosto de ter sido substituído na partida diante do Arsenal de Sarandí, nesta quinta-feira, pela Copa Libertadores da América. Sacado aos 11min do segundo tempo, o ex-defensor da Seleção Brasileira lembrou que o time não estava perdendo ainda quando deu lugar a Paulo Henrique Ganso. No fim, o São Paulo foi batido por 2 a 1 e se complicou na competição.

“Quando saí, estava 0 a 0. Depois perdemos”, disse Lúcio nesta sexta-feira, no desembarque da delegação no Aeroporto de Guarulho. “Independente disso, o sentimento é ruim por causa da derrota”, completou.

O camisa 3 evitou fazer críticas ao técnico Ney Franco, mas creditou ao treinador a responsabilidade pelo esquema titular com três zagueiro (Lúcio, Rafael Tolói e Edson Silva) e pela posterior substituição.

“Treinamos no esquema dele, e não se troca zagueiro se não for necessidade. Mas ele achou certo, e respeito”, disse Lúcio, evitando pressionar o treinador. “Não vou opinar sobre a situação do Ney. Meu objetivo é dar meu melhor e estar junto dos meus companheiros. Ele tentou fazer o melhor e não tem que se explicar. A responsabilidade é dele”, completou.

O zagueiro ainda justificou a saída precipitada do estádio, tendo supostamente acompanhado o fim da partida do ônibus da equipe – informação negada pelo próprio atleta.

“Não fui para o ônibus. Vi o jogo de uma TV do vestiário que fica a dois metros do ônibus”, disse Lúcio, admitindo a frustração por ter sido sacado. “É claro que fico triste quando não jogo”, completou.