Julgamento de Pistorius é adiado para quarta-feira

Acusado de assassinato premeditado da modelo e sua ex-namorada Reeva Steenkamp, Oscar Pistorius continua preso. A audiência de pedido de fiança, em Pretória, na África do Sul, aconteceu nesta terça-feira, mas a defesa não apresentou provas suficientes e o promotor do caso, Gerrie Nel, solicitou que fosse adiado para a próxima quarta-feira, para que pudesse consultar o responsável pelas investigações, Hilton Botha.

A defesa manteve a sua estratégia e tentou desqualificar as acusações de que Pistorius havia planejado o crime, mantendo a tese de que teria sido acidental. O advogado do atleta, Barry Roux, afirmou que o fato dos disparos terem sido através da porta confirma que Pistorius a confundiu com um possível invasor.

Como prova de acusação, a promotoria afirma que Pistorius colocou suas próteses para perseguir a modelo após uma discussão. Foram encontradas roupas e objetos pessoais da modelo na casa, o que contraria a versão do atleta, que afirmou não saber que Steenkamp estava no local.

Oscar Pistorius está preso desde a morte de Reeva Steenkamp, em 13 de fevereiro.