Valdivia racha torcida, recebe elogios e ganha força no Palmeiras

Valdivia definiu 2013 como o ano de sua virada no Palmeiras e, nos primeiros momentos da temporada, tem começado a se aproximar do objetivo. Ainda há muito por vir, mas neste domingo, em derrota para o Penapolense, ele teve boa movimentação em campo e ganhou elogios do treinador Gilson Kleina. 

Curiosamente, nos 45 minutos em que esteve em campo, o chileno também rachou os torcedores presentes ao Pacaembu. Insatisfeita com o comportamento da equipe, que perdia por 3 a 2, a facção organizada Mancha Alviverde começou a vaiar os jogadores e elegeu Valdivia como alvo. Revoltada com a cobrança excessiva na terceira partida da temporada, a torcida presente ao setor de numeradas reagiu e, para protestar pelas reclamações, gritou o nome do chileno. 

Na saída do Pacaembu, ele comentou a situação atípica e se disse motivado pelos aplausos."A gente entende também, o time perdeu o jogo, então entendemos a tristeza do torcedor. Eu agradeço quem aplaudiu meu nome, foi um momento legal para mim, e o Palmeiras todo espera que a gente possa melhorar e conseguir ganhar nos próximos jogos", declarou o chileno. "A motivação fica lá em cima, porque grande parte do estádio aplaude seu nome, grita seu nome. Isso me motiva mais a ficar aqui, a melhorar todos os dias". 

O treinador palmeirense também viu Valdivia motivado, como ele próprio declarou, e fez questão de ressaltar o esforço do jogador nos últimos dias. O meia se reapresentou fora do prazo marcado para a pré-temporada e, logo nos primeiros treinamentos, recebeu uma entrada dura no tornozelo e precisou ser poupado desde então. 

Para Gílson Kleina, o chileno está disposto a dar novo rumo para a carreira em 2013. "Desde que conversamos, ele faz todo tipo de treinamento no horário marcado e está comprometido com a situação. O fato é que o tornozelo dele hoje não é saudável, vem de um sacrifício", explicou Kleina. "Tem que enaltecer o lado do atleta que sabe a importância dele no grupo. É um ano especial para todos nós, inclusive para ele. A gente vê que, mesmo em dificuldades, ele quer fazer parte do grupo. Tem uma leitura de jogo de muita qualidade". 

Contra o Penapolense no domingo, Valdivia apareceu principalmente em um lindo lançamento que deixou Barcos livre para marcar diante do goleiro Marcelo, ex-Corinthians - que fez milagre. Sem as condições ideais, como descrito por Kleina, ele foi acionado no intervalo, para o lugar de João Denoni, e melhorou a produção ofensiva. Com muitos erros defensivos e chances de gol desperdiçadas, entretanto, a equipe palmeirense sucumbiu.