Dirigente "esquece" Ana Marcela e enaltece base com pupilo de 14 anos

A saída de Ana Marcela Cunha, então principal nadadora da Universidade Santa Cecília, para o Sesi-SP não preocupou Marcelo Teixeira, dirigente do complexo educacional. O ex-presidente do Santos ainda enalteceu que não contratará um "medalhão" para repor a perda, diz que o foco da faculdade é trabalhar na revelação de novos talentos e já aponta Felipe Ribeiro de Souza, 14 anos, como provável candidato a pupilo.

"Tivemos campeões brasileiros, mundiais e a universidade continuará formando outros tantos. Nos empenhamos para mantê-la, mas houve o interesse de transferência para outro lugar. Desejamos sorte", afirmou.

"Não temos como característica a contratação de um medalhão. Gostamos de formar esse medalhão. O objetivo da universidade é continuar revelando novos talentos. Pelo trabalho que fazemos, vão surgir. Não fazemos para um atleta, queremos ampliar esse potencial", completou.

O reencontro entre as partes ocorreu no domingo durante a Maratona Aquática Internacional, a Copa do Mundo da Fina (Federação Internacional de Natação), em Santos. Ana Marcela cumprimentou normalmente dirigentes da faculdade.

A saída, no entanto, ainda não foi totalmente digerida. O ex-técnico da nadadora, Márcio Latuf, disse estar "machucado" com a decisão e ainda criticou "ruídos" nas tratativas alegando ter tido dificuldade para se comunicar com a antiga pupila. Ana Marcela, por sua vez, pôs panos quentes e alegou motivação para a mudança de clube.

"A Ana saiu daqui como duas vezes campeã mundial, formada no colégio e na nossa faculdade. Queremos que todo o potencial seja intensificado. Temos um exemplo hoje, o Felipe, um atleta de 14 anos que foi considerado em 2012 a revelação pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro). Esse é o trabalho. Daqui a três ou quatro anos se ele resolver ir não haverá problema", assegurou Teixeira.

Ana Marcela chegou à Santos ainda muito jovem, vista como "queridinha" do mandatário. Felipe Ribeiro ganhou destaque ao conquistar seis medalhas de ouro, todas com recordes, nas Olimpíadas Escolares no último ano, realizadas em Poços de Caldas-MG. Com o desempenho, o jovem levou prêmio Brasil Olímpico.