Volta ao Olímpico tem briga, temporal, pouco público e cera do Canoas

A partida entre Canoas e Grêmio, pela segunda rodada do Campeonato Gaúcho, disputada nesta quinta-feira, na volta ao Estádio Olímpico, tinha tudo para ser morna, com o time tricolor entrando em campo repleto de reservas contra uma equipe sem muita tradição de glórias no futebol local, sob os olhares de um público de 4,6 mil pessoas. Mas logo cedo, cerca de 80 torcedores se enfrentaram em uma batalha campal nas ruas, dando o tom do que estava por vir.

A partida foi iniciada sob um forte e rápido temporal, e os jovens atletas do Grêmio sucumbiram à experiência dos jogadores do Canoas, que abriram dois gols de vantagem, segurando o jogo na retranca e explorando o contra-ataque.

O gol tricolor veio no segundo tempo, mas a partir daí o adversário fez bastante cera para segurar o resultado no final do jogo, deixando os jovens atletas gremistas ainda mais ansiosos.

O Canoas não vencia o Grêmio desde 2006, ano no qual ainda se chamava Ulbra, mas conseguiu explorar a “ingenuidade” de uma equipe composta basicamente por atletas da categoria Sub-20, que tinha em Lucas Coelho e Rondineli seus maiores destaques.

Werley, um dos poucos jogadores da equipe profissional do Grêmio que atuam na partida de hoje, ficou muito revoltado com a atuação da arbitragem. Ele levou um cartão amarelo no finalzinho do jogo e deixou o campo dizendo eu a arbitragem queria “f... com o Grêmio”.

O presidente do Grêmio, Fabio Koff, pormenorizou a confusão ocorrida antes da partida entre as torcidas organizadas, tratando-a como uma ocorrência policial, enfatizou que aconteceu fora do estádio, mas admitiu que o clube também tem responsabilidade de evitar que esse tipo de violência se repita.

Sobre a atuação da arbitragem, acusada de ter sido conivente com a cera do Canoas, Koff disse que “o Canoas usou de sua experiência e levou o jogo para a interrupção o tempo todo, contou com a complacência da arbitragem”. “O jogo era interrompido o tempo todo por jogadas faltosas que se repetiram durante toda a partida, mas isso faz parte da experiência pela qual essa meninada (atletas gremistas) vai passar“, alegou.

Segundo a polícia, foram presos mais de 30 torcedores envolvidos na confusão, que teria iniciado por causa de ingressos. Entre os detidos estava um indivíduo conhecido como “Zoio”, que é conhecido da polícia, e seria um dos responsáveis pela briga ocorrida na inauguração da Arena do Grêmio, em dezembro de 2012.