Goleador aos 40 anos, Ceni retribui homenagem: "torcida é razão de seguir

Se pudesse idealizar a melhor festa de aniversário possível para seus 40 anos, Rogério Ceni fatalmente teria planejado algo semelhante ao que aconteceu na noite de quarta-feira, no Morumbi. Entre homenagens, uma atuação elogiável e uma grande vitória contra o Bolívar-BOL, por 5 a 0, o maior ídolo do São Paulo acrescentou mais uma página em sua extensa galeria de partidas inesquecíveis com a camisa são-paulina.

Em seus planos para o local da festa, Ceni fatalmente escolheria o estádio onde viveu as maiores emoções da carreira. Portanto, o Morumbi. Também teria selecionado um jogo com a competição que tem maior intimidade, a Copa Libertadores. O público precisaria ser expressivo, logo os 41 mil são-paulinos estariam de grande tamanho. Não era preciso trabalhar tanto, embora marcar presença fosse indispensável. Ao longo de 90 minutos contra a frágil equipe boliviana, Ceni apareceu em especial por dois momentos. Um em cada tempo, por sinal. Antes do intervalo, mas quando a vantagem ainda era de 1 a 0, saltou com espantoso reflexo para seus 40 anos, e impediu um gol contra que parecia certo de Cortez. Na etapa final, foi brindado por um pênalti cometido em Osvaldo, e atravessou o gramado para marcar o quinto. 

Era a senha para uma emoção definitiva pelo aniversário completado na terça. "Ainda me emociono muito", garantiu depois da partida. "A torcida é a razão de eu continuar. Tivemos mais de 40 mil torcedores e sabemos a dificuldade que é chegar aqui (no Morumbi), às 22h. É um privilégio subir as escadas aos 40 anos, entrar no campo de jogo e ver a festa que o torcedor faz. É sempre emocionante para mim", declarou o capitão do São Paulo depois dos 5 a 0. 

Além de receber no vestiário os cumprimentos de Felipe Massa, piloto da Ferrari e são-paulino fervoroso, Ceni já saltou ao gramado entre homenagens. Em meio ao hino nacional, as arquibancadas do Morumbi trocaram o Brasil pelo São Paulo e interromperam o ato cívico com um parabéns a você. Constrangido, ele acenou discretamente para agradecer. Os parabéns ainda se repetiriam quando Rogério partiu para cobrar o pênalti que selou seu gol. 

O atacante Osvaldo, contagiado pela atmosfera de ovação ao aniversariante, chegou a atravessar o gramado depois de marcar o primeiro gol da noite. Tudo para dedicar os parabéns a Rogério Ceni, a quem fez elogio marcante após o jogo. "Ele merece, é como se fosse um pai aqui dentro para a gente. Foi de presente para ele", disse. 

"Fiquei contente de ele atravessar o campo para me dar um abraço", disse o capitão entre elogios ao companheiro. Autor do quinto e último gol da noite, Ceni por fim brincou sobre a idade elevada para o futebol. "Foi meu primeiro jogo com 40 anos, acredita? Mas é a mesma coisa que com 39. Com 39 já é difícil, com 40 não vai mudar. Mas foi um gol importante, um gol em Copa Libertadores é sempre uma emoção especial". definiu. Uma emoção para todos os são-paulinos, Rogério.