Bolívar tenta "arranhar pedras" diante do São Paulo, dizem bolivianos

Centroavante Luís Fabiano é principal perigo tricolor segundo imprensa da Bolívia

A missão do Bolívar diante do São Paulo, nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília), no Morumbi, será ingrata. E a imprensa boliviana sabe que o time de La Paz terá que contrariar todas as expectativas se quiser sair com um resultado positivo do jogo de ida da fase preliminar da Copa Libertadores. Se os jogadores deixaram seu país animados e confiantes, o mesmo não se pode dizer dos jornais locais.

Para o El Diario, a tarefa do Bolívar será como "arranhar pedras". A publicação destaca que o time boliviano "não passa por um de seus melhores momentos" e só definiu sua classificação à Libertadores após um jogo-desempate contra o Oriente Petrolero em 19 de dezembro, deixando pouco tempo de preparação para o duelo contra o São Paulo.

Já o La Prensa diz que o Bolívar precisa de um "choque" para passar pelo time de Ney Franco e chegar à fase de grupos da Libertadores. O jornal dá favoritismo total ao São Paulo - "porque são os atuais campeões da Sul-Americana, porque jogam em casa e porque os brasileiros sempre tiveram hegemonia sobre os bolivianos nestes confrontos".

Enquanto destaca o atacante uruguaio William Ferreira como a arma do Bolívar para surpreender, o La Prensa lembra que o time do São Paulo é recheado de estrelas. O principal destaque é dado a Luís Fabiano, visto como "temível goleador", mas não a única ameaça no ataque tricolor. Ganso, Osvaldo e Aloísio também são citados. Já na defesa, os elogios vão para os "baluartes" Lúcio e Rogério Ceni. O jogo de volta, na altitude de La Paz, acontece em 30 de janeiro.