Por preço de ingresso, flamenguistas protestam e não entram no Engenhão

Integrantes de três torcidas organizadas do Flamengo decidiram boicotar a estreia da equipe no Campeonato Carioca, diante do Quissamã, na tarde deste sábado, no Engenhão. Segundo eles, o protesto é contra o preço dos ingressos cobrados no Estadual. Os manifestantes assistem ao jogo na rua, em frente ao estádio, com bandeiras, gritos de guerra e bateria, como se estivessem torcendo dentro do estádio. Estima-se que até 200 torcedores participem do boicote.

O movimento é liderado pela Fla Manguaça e conta ainda com a participação de membros da Nação 12 e Torcida Jovem do Flamengo. Segundo Renato Defanti, vice-presidente da Fla Manguaça, o protesto não é represália ao fato de a nova diretoria rubro-negra ter cortado ingressos a preços promocionais para as torcidas organizadas. Até o ano passado, as torcidas adquiriam entradas pela metade do preço, segundo o dirigente da Fla Manguaça.

“Protestamos contra o preço alto e a tabela mal formulada que coloca o jogo do Flamengo num dia de semana, às 17h. Quem trabalha não tem condições de ir”, afirmou.

A entrada para a arquibancada leste para Flamengo x Quissamã custa R$ 40. Quem quiser assistir a algum clássico terá que desembolsar até R$ 60. Defanti lembra que, somado o custo de transporte e lanche, assistir a um jogo do Estadual poderá custar até R$ 100.

“Como um trabalhador que ganha um salário mínimo pode ir ao estádio? Esse movimento não é por nós, da organizadas. Temos a capacidade de mobilizar em prol de todos os torcedores. Queremos que todos sejam beneficiados”, explicou.

Não está decidido se o protesto vai permanecer nas próximas rodadas. Defanti informou ter comunicado às torcidas de outros clubes, mas que, até o momento, ninguém havia se manifestado a favor do movimento.

“Nosso papel é apoiar o Flamengo e defender o interesse do torcedor”, ressaltou.