Operários entram em greve e paralisam obras do Estádio Beira-Rio

Os funcionários da construtora Andrade Gutierrez, responsável pela reforma do Estádio Beira-Rio, do Internacional, uma das sedes da Copa do Mundo para 2014, decretaram greve geral na manhã desta terça-feira. Em assembléia realizada nesta manhã, os funcionários recusaram a proposta de 8% de aumento salarial. Os funcionários estão exigindo aumento de 15% de reajuste.

"Nós estamos no canteiro de obras aguardando uma manifestação da Andrade Gutierrez para voltarem ao trabalho. Nós iniciamos a negociação pedindo 40%, reduzimos para 20% e agora 15%, ainda não houve acordo. Nós conseguimos aumentar o valor do ticket refeição de R$ 160,00 para R$ 200,00. Outra situação que foi negociada é para quem mora em outros estados terá nove dias para ir em casa", disse César Tubino, assessor do Siticepot (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada), em entrevista para a Rádio Gre-Nal.

Com a falta de acordo entre os funcionários e a construtora, mais de cem operários pediram demissão. Atualmente o número de funcionários trabalhando na reforma do estádio do Internacional é de aproximadamente 800 pessoas. Ainda não há previsão de uma nova reunião entre sindicato e construtora.