Cech assume favoritismo do Chelsea: "temos que provar dentro de campo"

Um dia após, enfim, chegar ao Japão para a disputa do Mundial de Clubes da Fifa, o goleiro do Chelsea, Petr Cech, em coletiva de imprensa aos jornalistas, em Yokohama, no Japão, ao lado do técnico Rafa Benítez, assumiu o favoritismo do atual campeão europeu na competição, com uma ressalva: "temos que provar isso dentro de campo".

"Não temos problema em assumir este favoritismo, mas só vamos saber se isso realmente vai nos ajudar a partir da semifinal", completou ainda o goleiro, que, apesar das perguntas dos jornalistas brasileiros, não quis comentar sobre o Corinthians, outro possível postulante ao título.

"Não quero falar sobre eles, está longe ainda, mas se nós vencermos e eles também, o que tem boas chances de acontecer, aí sim falaremos sobre a equipe", explicou o arqueiro do time inglês. "Mas me parece que eles também podem ser um dos favoritos", emendou.

A despeito do possível desinteresse que sempre ronda os clubes europeus quando o assunto é o Mundial de Clubes da Fifa, sobre o fato de que os clubes dos outros continentes dariam mais importância ao torneio, Cech foi taxativo: "tive que esperar oito anos para jogar essa competição, então vou fazer de tudo para que a gente possa vencer este torneio e voltar para casa campeão".

O técnico Rafa Benítez endossou o discurso do goleiro checo. Ele, que assumiu o há menos de um mês, após a demissão do italiano Roberto Di Matteo, não vê diferença entre o torneio da Fifa, e a Liga dos Campeões da Europa, por exemplo, título que o clube inglês conquistou pela primeira vez este ano, após vencer o Bayern de Munique na grande decisão.

"Esse é um torneio muito importante para gente, não importa se é a Liga dos Campeões ou não, qualquer competição que o Chelsea entra é para vencer, então temos que dar o nosso melhor", disse o treinador, pela terceira vez na disputa intercontinental.

Em 2005, foi vice-campeão, pelo Liverpool, ao perder a final contra o São Paulo. Em 2010, à frente da Inter de Milão, sagrou-se campeão ao vencer o Mazembe, da República do Congo, que surpreendentemente eliminou o Internacional nas semifinais, por 2 a 0.