Bruno Senna admite briga com "amigo" Razia por temporada na F1

O Brasil tem pelo menos dois pilotos a cada temporada da Fórmula 1 desde 1971, e Bruno Senna e Luiz Razia são os responsáveis por tentar manter a sequência. Com apenas Felipe Massa, da Ferrari, garantido até aqui no grid de 2013, os outros dois brasileiros tentam continuar na categoria.

Na briga para assegurar o futuro, Razia e Bruno são rivais entre si, mas não deixam de ser amigos. O sobrinho de Ayrton Senna falou sobre a sensação de concorrer com um compatriota neste domingo, após encontro com os tenistas Thomaz Bellucci e Tommy Haas no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

"A competitividade é sempre a mesma com brasileiro ou não, mas o Razia é meu amigo. Quando eu estava na GP2 a gente sempre se falava, tentei sempre ajudá-lo quando podia. É um cara que teve um ano fantástico na GP2, com certeza tem potencial, tem briga. Mas todo mundo está na briga assim como os outros, não tem nada fora da pista", afirmou.

Bruno Senna, 27 anos, iniciou a carreira na F1 em 2010, após ser terceiro colocado da GP2 em 2008. Ele foi substituído na Williams pelo finlandês Valteri Bottas ao fim desta temporada e neste domingo indicou que trabalha com as opções Force India e Caterham para a próxima temporada, tendo o DTM (Campeonato Alemão de Turismo) como plano B.

Razia, 23 anos, já confirmou negociar com exatamente as duas escuderias para o ano que vem. Ele ainda conversa com a Marussia, buscando uma vaga para estrear na F1 depois de ser vice-campeão da GP2 nesta temporada com 222 pontos, contra 247 do italiano Davide Valsecchi.

Bruno, que se disse "na batalha" para continuar no grid, mostrou confiança nos "ótimos patrocinadores" para conseguir um "assento competitivo". Além de Force India, Caterham e Marussia, apenas a Lotus ainda tem assentos disponível para 2013, mas deve manter o francês Romain Grosjean ao lado do finlandês Kimi Raikkonen.

Razia e o sobrinho de Ayrton Senna, que superou a concorrência do compatriota Rubens Barrichello para acertar com a Williams em 2012, tentam manter uma sequência de pelo menos dois pilotos por temporada da F1 desde 1972. O último ano em que apenas um brasileiro alinhou o carro foi o de 1971, com somente Emerson Fittipaldi. Na temporada seguinte, Fittipaldi seria o primeiro brasileiro campeão mundial e teve a companhia do irmão, Wilson, e de José Carlos Pace.