Valcke diz que "revolução no futebol" acontecerá no Mundial

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) organizou nesta quarta-feira uma entrevista coletiva para abrir oficialmente o Mundial de Clubes. O secretário-geral Jerome Valcke esteve presente, ao lado do presidente da Federação Japonesa de Futebol, Kuniya Dainia. Ele exaltou principalmente a grande novidade da competição, a tecnologia que fará uma "revolução", já que dirá se a bola entrou ou não no gol.

Chamado de GLT, o sistema será usado oficialmente pela primeira vez nesta quinta-feira, quando acontecerá o jogo inaugural do Mundial: o Sanfrecce Hiroshima, campeão do Japão, enfrentará o Auckland City, campeão da Oceania. Quem vencer se classificará para enfrentar o Al Ahly nas quartas de final, jogo que definirá o adversário do Corinthians na semi.

"Amanhã (quinta-feira) será a primeira vez que essa tecnologia será usada oficialmente em um jogo. Os testes estão feitos e foram bem sucedidos", comentou Valcke, antes de completar com mais otimismo: "é um tipo de revolução no futebol. É a primeira vez que essa tecnologia vem para o futebol e ela será restrita a linha do gol somente".

O secretário-geral da Fifa explicou ainda que o juiz terá a decisão final em qualquer caso. Será ele que decidirá se vai ou não usar o recurso tecnológico. "Eles tiveram um treinamento completo. Nós vamos assegurar que eles saberão usar a tecnologia. 90 minutos antes do jogo, o juiz terá que testar o sistema. E de acordo com o teste, ele decidirá se vai ou não usar a tecnologia", contou Valcke.

Um dos problemas que fez a Fifa ter cautela ao adotar esta tecnologia foi o alto custo dela. Apesar de admitir que realmente o sistema é caro no momento, a entidade aposta que futuramente isso vai melhorar: "Existirão outras companhias que virão para esse mercado no futuro e então o preço cairá", comentou Valcke, que ainda comparou: "é como o telão de plasma há alguns anos. Veja como agora os preços disso caíram".

Na entrevista coletiva a bola mostrada por Valcke era igual ao modelo da Cafusa, lançada por causa da Copa das Confederações, competição que vai acontecer no Brasil em 2013. De acordo com a Fifa, o nome foi escolhido para fazer uma fusão dos nomes carnaval, futebol e samba.