Rodrigues une candidatos da oposição e promete Kaká no Flamengo

Candidato ainda quer criar figura do sócio investidor e tirar o Marketing da Gávea

Jorge Rodrigues é sócio do Flamengo desde 1975, e conseguiu a proeza de unir duas chapas de oposição em torno de sua candidatura: Lysias Itapicurú e Maurício Rodrigues se juntaram a Rodrigues, de acordo com suas convicções sobre o que seria melhor para o Flamengo.

Rodrigues disse ao Jornal do Brasil que, caso vença a eleição, a estrutura do futebol permanece, com Dorival Júnior como técnico e Zinho como executivo de futebol, mas criticou muito a gestão de Patrícia Amorim à frente do Flamengo na questão do futebol:

“Não tem que achar que parquinho ou sede da gávea é clube. Ela pecou e errou onde não poderia errar, que é o futebol. Quem não trabalha no Flamengo pensando no futebol está fadado ao fracasso”, comentou Rodrigues, que prometeu profissionalizar o departamento de futebol. “Arrumando o futebol você consegue arrumar tudo”.

Ele promete, caso seja eleito, uma maior atenção com os torcedores rubro-negros de outros estados. Segundo ele, a torcida do Flamengo, estimada por todos os candidatos em 40 milhões de torcedores, é grande demais para que apenas 3 mil sejam sócios do clube:

“Vamos levar o Flamengo à torcida. Não é o sócio torcedor que eu quero, eu quero o sócio investidor. Vamos desenvolver um projeto, em que o torcedor vai pagar uma cota a partir de 10 reais, sem valor máximo. Isso não é para pagar dívida, é para investimentos na base, contratações e investimentos de negócios. Ele receberia dividendos, em 36 meses ele teria o seu dinheiro de volta”, contou o candidato da Chapa Rosa, que ainda comentou sobre as dívidas do Flamengo:

“É nas crises que nos crescemos, porque trabalhamos mais e usamos a criatividade. Temos que fazer essa marca, que vale um bilhão de reais e 40 mihões de torcedores, conduzam resultados financeiros. Não podemos ter medo das dívidas. Só adquire uma dívida gigantesca quem tem condições de pagá-la”, analisou Jorge Rodrigues.

Para o marketing rubro-negro, Rodrigues utilizará dos serviços de outro antigo candidato à presidência do Flamengo, Maurício Rodrigues. A sede seria em uma antiga concentração do futebol profissional do Flamengo:

“Quero levar o marketing para a rua Jaime Silvado, em São Conrado, e lá desenvolver o cérebro do Flamengo, fora dos muros da Gávea. É lá que eu pretendo pensar em novos patrocínios, novas ideias. O clube precisa disso”, comentou, empolgado, o candidato da Chapa Rosa.

E Rodrigues tem grandes planos para o futebol do Flamengo. Em jantar realizado na quinta-feira( 29), o candidato prometeu um nome de peso: Kaká, melhor jogador do Mundo em 2007 pelo Milan e atualmente no Real Madrid. Segundo ele, Djalminha, ex-jogador do Flamengo, estaria conduzindo a negociação junto ao pai de Kaká, que vem tendo pouco espaço no Real Madrid. 

Se isso é promessa eleitoral ou um projeto sério, o sócio terá de votar para crer nesta segunda-feira (3).