Corintianos estranham Pacaembu como visitante, mas mantêm otimismo

Os corintianos que compareceram nesta tarde de domingo como visitantes no estádio do Pacaembu, onde o clube de Parque São Jorge costuma mandar jogos, disseram estranhar a condição de visitante, mas afirmaram que o otimismo está intacto no clássico contra o São Paulo. Chegando em grupos de dezenas com escolta da Tropa de Choque da Polícia Militar, entoaram gritos contra o rival e pediram a vitória antes da disputa do Mundial de Clubes.

Acostumada a comparecer no estádio da prefeitura paulistana quando o Corinthians não tem mando de campo, a produtora de eventos Sabrina Ribeiro, 34 anos, acredita que pelo tamanho a torcida de seu clube do coração merecia ao menos ficar com o tobogã, ao invés de ficar apertada apenas com uma acanhada parte da arquibancada. "É estranho e muito triste, aconteceu poucas vezes e o Timão sempre ganhou, mas tínhamos que ter mais espaço", protestou.

O advogado Alexandre Aleixo Pereira, 41 anos, concorda com a divisão de torcidas devido à rivalidade, mas afirma que o primeiro passo seria a marcação dos lugares ocupados pelos torcedores. Confia em uma vitória do seu Corinthians. "Estamos com mais apetite pela proximidade do Mundial", declarou. Apaixonado pelo Pacaembu, o laboratorista Rodrigo Vieira, 33 anos, disse que não vê a menor diferença em ser visitante ou mandar o jogo no estádio. "Aqui é coração, é nosso, vamos ganhar", afirmou.