Felipão se diz mais experiente e nega Espanha favorita

Questionado a respeito de eventuais favoritas para a Copa das Confederações, Luiz Felipe Scolari minimizou a atual condição da Espanha, campeã mundial e também da Eurocopa. Neste sábado, logo depois do sorteio para a competição em São Paulo, o treinador citou os espanhóis para dizer das possibilidades que a Seleção Brasileira tem, ainda que em momento de incertezas.

“Nem o Brasil é total favorito e nem a Espanha. Podemos discordar disso pelo ranking (da Fifa) ou pelo trabalho de alguma seleção até o momento. Para o Taiti é espetacular estar aqui porque vai evoluir, qualquer derrota é ótimo. Não há favoritos para ganhar. No nosso grupo são quatro competições, sendo que dois não passarão e têm as mesmas condições. No outro há pelo menos dois de nível elevado”, analisou Felipão.

O treinador do Brasil, que chegou a pedir um “resgate popular” na relação entre torcedores e Seleção, ainda enfatizou a importância de se jogar em casa. “Quero dizer a nossos torcedores que, se vamos jogar em casa, temos que fazer todo o esforço e assumir que vamos jogar com o único intuito de ganhar a Copa das Confederações”.

Em sua primeira semana de volta ao cargo de treinador da Seleção, Scolari ainda se comparou à temporada 2002, quando foi campeão do mundo. “Estou mais velho. O cabelo mais branco. Não tem muita diferença. Naturalmente depois de passar quase seis anos na Europa, acho que eu tenha um pouco mais de vivência internacional, conhecimento das equipes e seleções com as quais eu trabalhei. Isso nesse momento também é importante para um bom trabalho”.