Marin vê cargo de Andrés "vago" e deve anunciar técnico na terça-feira

A afirmação do diretor de Seleções da CBF, Andrés Sanchez, de que ficará no cargo no mínimo até sábado, quando acontece o sorteio da Copa das Confederações em São Paulo, irritou o presidente José Maria Marin, segundo o jornal Folha de S. Paulo

De acordo com a publicação, o mandatário já considera o posto de Andrés "vago" e espera apenas pela formalização do pedido de demissão do ex-corintiano, que deve acontecer após o sorteio. A declaração de Andrés de que não poderia deixar a Seleção sem um representante no evento, já que o treinador Mano Menezes foi demitido, teria sido vista como uma "afronta" por Marin, como se o diretor estivesse fazendo um favor à CBF ao permanecer no cargo por mais alguns dias.

Folha também diz que o anúncio do novo técnico da Seleção Brasileira deve ser antecipado para a próxima terça-feira. Marin havia declarado que o nome só seria divulgado em janeiro do próximo ano, mas a grande repercussão da demissão de Mano teria feito o dirigente mudar de ideia. O preferido de Marin e do vice Marco Polo Del Nero é o de Luiz Felipe Scolari, que deixou o Palmeiras em setembro.