Alonso ataca Grosjean e se vê reconhecido como o melhor do ano

Embora tenha ficado com o vice-campeonato do Mundial de Pilotos da Fórmula 1 em 2012, Fernando Alonso deixou o Grande Prêmio do Brasil satisfeito com o desempenho apresentado. Segundo colocado da prova, o espanhol não perdeu o título no Circuito de Interlagos, conforme analisou, e sim em "outras corridas" nas quais teve "má sorte".

Com os 18 pontos conquistados em São Paulo, Alonso chegou aos 278 pontos na classificação geral, contra 281 de Vettel, que terminou no sexto lugar em Interlagos. Segundo publica o jornal espanhol Marca, o piloto da Ferrari admitiu que sempre se lembra "desses três pontos", uma desvantagem que poderia ter superado não fossem algumas "situações durante o campeonato".

Sendo mais específico, Alonso argumentou que não perdeu o título em Interlagos ao afirmar que "o Mundial se perdeu quando (Romain) Grosjean passou por cima da minha cabeça em Spa ou quando Vettel surpreendentemente só recebeu uma reprimenda depois da classificação no Japão".

No GP da Bélgica, realizado em Spa em 2 de setembro, Grosjean, da Lotus, provocou um acidente triplo logo após a largada que tirou Alonso, o britânico Lewis Hamilton, da McLaren, e o próprio francês da prova. Vettel foi o segundo colocado daquela prova, enquanto que Grosjean acabou suspenso pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) da etapa seguinte, na Itália, devido ao incidente.

No GP do Japão, realizado em Suzuka em 7 de outubro, Vettel recebeu uma advertência dos comissários depois de ter bloqueado Alonso durante o treino classificatório, mas não perdeu a pole position. O espanhol largou no sétimo lugar da corrida e abandonou na primeira volta após disputa com o finlandês Kimi Raikkonen, da Lotus; já o alemão venceu a prova.

Alonso exalta temporada "nota 10" e se vê reconhecido como melhor do ano:

Em entrevista publicada no site oficial da Ferrari, Alonso afirmou que ele e toda a equipe têm de estar "orgulhosos" pelo trabalho ainda que o Mundial de Construtores tenha ido para a Red Bull e o de Pilotos, para Vettel.

"Foi uma temporada nota 10!", exclamou o espanhol. "Se eu tivesse de repetir estas 20 provas (de 2012) não mudaria nada daquilo que fizemos: nenhum erro, nenhum problema mecânico, zero problema nos pit stops, zero erro de estratégia. O título certamente não perdemos hoje (domingo), mas em Spa ou em Suzuka. Não terminei o campeonato com o maior número de pontos, mas venci muitas outras coisas, como o respeito de todo o mundo e ter colocado de acordo torcedores e colegas sobre quem foi o melhor neste ano".