Tricampeão mundial de boxe, Hector Camacho é baleado em Porto Rico

O ex-campeão mundial de boxe Hector "Macho" Camacho levou um tiro no rosto em uma aparente emboscada em Baymon, nos arredores da capital de Porto Rico, na madrugada desta quarta-feira. O ex-atleta portorriquenho, de 50 anos, corre pouco risco de morte, mas foi internado em estado grave e pode ter sequelas.

Hector foi três vezes campeão mundial de boxe, por duas categorias diferentes, nos anos 80. Aposentado desde 2010, com 79 vitórias, seis derrotas e três empates, o portorriquenho treinava para retornar aos ringues em 2013, segundo empresários.  

Camacho havia acabado de entrar em um carro quando foi abordado por um homem desconhecido, que disparou e segue foragido. Ao seu lado, estava outro homem de cerca de 50 anos, cuja ligação com o ex-boxeador ainda é desconhecida, e que morreu após o crime.  A bala atingiu a mandíbula de Camacho, mas saiu de sua cabeça e se alojou no ombro direito. O ex-atleta ainda fraturou ao menos duas vértebras e pode ficar paralítico, de acordo com o doutor Ernesto Torres, responsável por seu tratamento no Hospital Centro Medico, em San Juan.  

Steve Tannenbaum, representante do ex-lutador, se mostrou confiante quanto a uma recuperação. "Ele é um gato, tem sete vidas. Vai sair dessa", afirmou. Marcado por polêmicas, Camacho teve uma carreira irregular, marcada pelo abuso de álcool e problemas criminais, que incluíram processos na Justiça por agressões a mulheres e ao próprio filho. Em 2007, ele foi sentenciado a sete anos de prisão por roubar uma loja de computadores no Mississipi, mas cumpriu apenas duas semanas de pena e foi libertado.