Luxemburgo se exime por 2002 e explica rebaixamento do Palmeiras

Com história de títulos conquistados no Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo, hoje no Grêmio, comentou o rebaixamento de seu ex-clube, confirmado justamente depois de a equipe gaúcha empatar com a Portuguesa por 2 a 2, neste domingo, no Estádio do Canindé. O treinador ainda recordou a participação na campanha palmeirense da queda para a Série B em 2002.

"Tive um jogo e fui embora porque as coisas não estavam caminhando muito bem, pelos acertos que a gente tinha feito. Aí faltavam 40 rodadas me parece, tinham 26 equipes me parece, tinha quantas rodadas? Aí eu levei a culpa", respondeu Luxemburgo. Na realidade, foram disputadas 25 rodadas, em turno único, naquele Campeonato Brasileiro.

Na ocasião, o treinador trocou o Palmeiras pelo Cruzeiro depois da primeira rodada, em que empatou no Palestra Itália com o Grêmio, por 1 a 1. Luxemburgo foi criticado por dispensar jogadores como Magrão e Claudecir e logo depois pedir demissão. O time ainda seria dirigido por PC Gusmão (interino, um jogo), Flávio Murtosa (quatro jogos), Karmino Colombino (interino, um jogo) e Levir Culpi (18 jogos). 

Na sequência, Luxemburgo também analisou as razões para o rebaixamento que se repete no Palestra Itália. "Para o futebol brasileiro, é ruim o Palmeiras cair. No Campeonato Brasileiro com 12 equipes grandes, mais oito fortes, é sempre muito difícil com 20% de aproveitamento fora de casa", analisou.