Petkovic "apela", escolhe duplista campeão e vence duelo preliminar

Aposentado dos campos de futebol, o sérvio Petkovic viveu na tarde deste sábado o "momento sérvio  no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Grande promotor da ida do atual tenista número um do mundo, que logo mais enfrenta o brasileiro Gustavo Kuerten em partida de exibição, Petkovic mostrou que até leva jeito para a coisa, mas para vencer o primeiro duelo do dia, acabou "apelando".

A programação inicial do duelo previa o sérvio-boleiro atuando ao lado de Dácio Campos, comentarista da modalidade no canal SporTV. A organização não informou os motivos da alteração, mas o fato é que Petkovic surgiu com uma carta na manga: ao invés de Dácio, foi a quadra ao lado do compatriota Nenad Zimonjic, duplista profissional, com três títulos de Grand Slam no currículo.

O duelo acabou sendo Sérvia x Brasil, já que do outro lado estavam o veterano Carlos Alberto Kirmayr e o ator global Luigi Baricelli, famoso também por ser um praticante da modalidade. Posteriormente, já além da metade do confronto, foi substituído pelo tenista e também comentarista Narck Rodrigues. Mesmo com algumas "bolas furadas" e problemas sérios no saque, Petkovic usou do parceiro profissional para fazer valer a força sérvia e vencer a partida disputada em único set: 7/4 (melhor de onze).

Petkovic foi à quadra como se estivesse em Londres, mais precisamente no complexo de quadras de Wimbledom: todo vestido de branco, como exige o regulamento britânico. Esqueceu-se, porém, que o piso era o saibro, e não a grama londrina. Mero detalhe, claro, já que o mais importante era o parceiro garantir a vitória.

"Vai ter troco, hein", apontou, em tom de brincadeira, para Baricelli, quando o ator-tenista acertou um smash bem ena perna, ainda no primeiro game. Dois pontos depois, Petkovic deu uma "largadinha" que Baricelli, mesmo a muito custo, não conseguiu alcançar.

Outro ponto alto do eterno sérvio-flamenguista foi o saque-voleio. Ele demonstrou desenvoltura junto a rede, deixando o trabalho "sujo" das bolas de fundo de quadra para Zimonjic.

Se Petkovic sonha em se tornar um veterano tenista, vai precisar treinar arduamente dois fundamentos clássicos, no entanto: o primeiro e mais urgente é o saque. Ele cometeu algumas duplas-faltas e, para não arriscar mais, sacava muito fraco, propiciando uma devolução mais forte da dupla brasileira. Por fim, após uma "furada" homérica, daquelas de causar vergonha alheia, vai precisar aprimorar e muito também o backhand.