São Paulo promete igualar oferta do Grêmio e deve fechar com Ganso

O São Paulo promete em reunião com o Santos igualar a oferta verbal do Grêmio e deve fechar com Ganso nesta quinta-feira. O clube do Morumbi só aguarda a definição da composição financeira para chegar aos R$ 23,8 milhões, proporcional santista na multa contratual do jogador, mas já conta com "lobby" favorável do camisa 10 ante batalha com o clube gaúcho pela contratação do jogador.

Ganso deseja atuar no São Paulo e não vê uma possível transferência para o Grêmio com bons olhos. O meia sentiu-se valorizado pelas tentativas e as condições externadas pelo clube paulista por sua contratação durante as negociações.

O Santos, por sua vez, só aguarda pela chegada do valor exigido para liberar o jogador. O clube informou nesta quarta que avaliaria propostas pelo montante e ampliou esperanças para que o São Paulo concretizasse o sonho de contratar Ganso após ver recusadas duas investidas: a primeira de cerca de R$ 11 milhões e a última de R$ 13 milhões por 45% de seus direitos econômicos.

A negociação com o Grêmio conta com a reprovação da DIS, grupo detentor dos 55% dos direitos restantes. Delcir Sonda, presidente do grupo, é torcedor fanático do Internacional e não ajudaria em uma investida do rival gaúcho. O Grêmio sinalizou a dirigentes do Santos ser capaz de pagar o valor exigido por meio de investidores, condição negada oficialmente pelos gremistas.

Ganso segue afastado dos gramados por lesão na coxa esquerda divulgada pelo clube no último dia 31, data da última proposta de renovação ao meia. O Santos admite ainda não ter nenhuma sinalização do jogador sobre recusa de um novo contrato, mas o Terra apurou que Paulo Henrique não se animou e vai rejeitá-la.

Após o jogo contra o Flamengo, até Neymar demonstrou conformismo com a saída do camisa 10 para o rival, alegando que espera que Ganso "seja feliz independente de onde esteja". Ele não atua desde 29 de agosto, na derrota para o Bahia em que sofreu protestos direcionados. O incidente colaborou para o fim de sua paciência com o clube.

De camisa 10 ideal a meia contestado

Ganso, revelado nas categorias de base do Santos, começou no clube em 2008, junto a Neymar, a maior estrela do time na atualidade. Desde que chegou ao time profissional, a carreira de Ganso se revezou em sobes e desces. Nos primeiros anos, o jogador conquistou críticos e torcedores não apenas por ser uma das maiores promessas do futebol do Brasil, mas por ter surgido como protótipo do camisa 10 criativo e pensador, em falta nos últimos anos.

A trajetória de Ganso - que parecia traçar uma ascensão meteórica rumo ao estrelato nos principais gramados do mundo - teve, porém, um baque grande em 2010. No meio daquela temporada, o jogador sofreu grave lesão no ligamento cruzado de seu joelho.

A lesão deixou Ganso fora dos gramados por seis meses e comprometeu a sequência da carreira no Santos do jogador, que não conseguiu manter o nível de seu futebol e perdeu prestígio com a torcida.

A volta ao clube veio durante a Copa Libertadores de 2011, mas nem a conquista do título continental fez com que o meia retornasse a seus melhores dias no Santos. À sombra de Neymar, que se consolidava como grande ídolo e craque do Brasil, Ganso perdeu espaço na mídia e também na Seleção Brasileira. De camisa 10 incontestável, o jogador passou a opção para o meio-campo.

No time olímpico de Mano Menezes, que ficou com a prata na Olimpíada de Londres, o meia Oscar, do Internacional, vestiu a camisa 10 da equipe, a qual, há poucos anos, era reservada para o jogador santista.

Logo após a Olimpíada, intensificaram-se os boatos sobre uma possível saída do Santos. E o destino mais provável para Ganso se tornou o São Paulo, que quis buscar na Vila Belmiro um substituto à altura para Lucas, negociado com o Paris Saint-Germain, e fez duas propostas (ambas recusadas pelo rival). O meia tem contrato com a equipe praiana até fevereiro de 2015.