Brasil vence França, fatura tri e mantém hegemonia no futebol de 5 

Atual campeã mundial, a Seleção Brasileira de futebol de cinco já pode acrescentar mais um feito ao seu extenso currículo. Na tarde deste sábado, a equipe verde e amarela não decepcionou e venceu a França por 2 a 0, faturando o tricampeonato paralímpico e estabelecendo uma hegemonia na modalidade.

Incluída no programa dos Jogos Paralímpicos em Atenas 2004, o futebol de cinco até hoje só consagrou a Seleção Brasileira como campeã. Se na primeira edição a equipe verde e amarela bateu a Argentina por 3 a 2, em 2008 o Brasil derrotou os anfitriões chineses por 2 a 1.

Após deixar seus adversários das outras duas finais pelo caminho, a Seleção Brasileira se classificou para enfrentar uma surpreendente França na final dos Jogos de Londres. Atual campeã europeia, a equipe azul havia conseguido segurar o Brasil na estreia da competição britânica, quando os times empataram por 0 a 0.

Neste sábado, no entanto, a experiência pesou e o futebol de cinco brasileiro fez história conquistando o tri paralímpico. Ao fim da partida, as lágrimas dos já consagrados jogadores brasileiros e a festa de uma animada torcida presente na Riverbank Arena emocionaram a todos e marcaram mais um título verde e amarelo.

Escalado com o tradicional quinteto titular formado por Fábio, Bill, Cássio, Ricardinho e Jefinho, o Brasil começou melhor a partida. Liderada por Ricardinho, a Seleção levou perigo ao gol de Jonathan Grangier por duas vezes nos primeiros dez minutos. Fechada na defesa, a equipe francesa só assustava nas investidas de Frederic Villeroux, que não conseguia passar pelas excelentes defesas do goleiro Fábio.

A partir dos 15min, siando mais para o ataque, a França passou a levar algum perigo ao gol brasileiro. No entanto, aos 17min, após driblar um adversário e tentar o chute, Ricardinho foi calçado dentro da área e sofreu o pênalti. Bill pegou a bola e, com um chute de bico no canto direito de Grangier, abriu o placar para o Brasil.

Muito disputada, a partida seguiu equilibrada até os 23min, quando Villeroux teve a chance de empatar o jogo, mas parou em uma linda defesa de Fábio no tiro de 8 metros.

Na segunda etapa, o primeiro lance importante surgiu aos 5min, quando Ricardinho driblou três franceses e acertou o travessão após belo chute. Se expondo mais ao ataque, a seleção europeia passou a dar espaço para o time brasileiro, que abusou das habilidades de seus jogadores e ampliou o placar aos 15min da segunda etapa com Jefinho, que avançou pelo lado esquerdo, cortou para o meio e balançou as redes de Grangier após chute mascado.

Com a vitória praticamente garantida, o Brasil se manteve superior, administrou a partida e só esperou o cronômetro marcar 50 minutos para soltar o grito de tricampeão.