Com novo comando, arbitragem aumenta rigidez e eleva número de expulsões

O atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, mudou o comando da arbitragem recentemente - Aristeu Leonardo Tavares assumiu na vaga de Sérgio Correa - com o pedido de "pulso firme" dos árbitros nas partidas. E o resultado notado desde então foi um aumento significativo na rigidez dos juízes pelos campos do Brasil.

Nas três rodadas do Campeonato Brasileiro realizadas desde que a mudança na arbitragem foi realizada, a média de cartões amarelos por jogo aumentou. A quantidade de expulsões teve crescimento ainda mais significante e foi elevada em 100%.

Nos 30 jogos realizados nas três últimas rodadas, 15 cartões vermelhos foram aplicados, média de 0,5 por jogo. O número de expulsos anterior à mudança realizada por Marin foi de 45, em um total de 176 jogos realizados. O que resultou em média de 0,25 expulsões por partida.

Já o número de cartões amarelos teve aumento de cerca de 15% nas três ultimas rodadas. 5,83 amarelos por jogo foi a quantidade acumulada desde que o presidente da CBF agiu, contra 5,03 da marca registrada nas 18 rodadas anteriores.

A escolha de Aristeu Leonardo Tavares, então ouvidor de arbitragem, para ocupar o cargo de presidente da Comissão no lugar de Sérgio Correa era desejo antigo de Marin, mas foi antecipado após o Corinthians ter sofrido um gol na derrota por 3 a 2 para o Santos em que três momentos de impedimento aconteceram na mesma jogada.

O presidente da CBF deu justificativas de que a arbitragem precisava de um "comando enérgico", e que corresponda com os anseios de dirigentes e torcedores. A intenção, no entanto, não foi capaz de evitar polêmicas e queixas dos cartolas.

O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, por exemplo, reclamou da arbitragem na partida contra o Corinthians, no domingo, no Pacaembu, alegando que o clube mineiro teve um gol invalidado erroneamente nos acréscimos. No jogo, Péricles Bassols aplicou 11 cartões amarelos e dois vermelhos, demonstrando grande intolerância com os jogadores.

"Quando um bandeira erra contra o Corinthians, a Comissão de Arbitragem cai inteira. Vamos ver o que vai acontecer agora", escreveu Kalil no Twitter.