Button domina GP da Bélgica e embola disputa do título; Massa é 5º

O britânico Jenson Button dominou de ponta a ponta o Grande Prêmio da Bélgica e venceu a segunda corrida no ano. O piloto fez apenas uma parada e repetiu o resultado da estreia da temporada, na Austrália. O alemão Sebastian Vettel, em grande prova de recuperação, terminou em segundo e aproveitou o abandono de Fernando Alonso para encostar na classificação.

O piloto da Red Bull chegou a 140 pontos e está apenas 24 atrás do espanhol, que abandonou a corrida antes da primeira curva por causa de um acidente provocado pelo francês Romain Grosjean. O britânico Lewis Hamilton e o mexicano Sergio Pérez também foram envolvidos e saíram precocemente do GP.

Campeão mundial de 2009, Button chegou a 14 vitórias na carreira e igualou o histórico do brasileiro Emerson Fittipaldi. Como nas últimas quatro vezes que anotou a pole position, o britânico terminou a corrida na ponta.

O brasileiro Felipe Massa largou em 14º lugar e também fez boa corrida. Conseguiu ultrapassar Mark Webber nas voltas finais e terminou em quinto. Ainda ajudou o companheiro Alonso, já que o australiano era o segundo colocado do Mundial de Pilotos. Agora, com 132 pontos, caiu para terceiro.

O finlandês Kimi Raikkonen, quatro vezes vencedor em Spa, completou o pódio e está apenas um ponto atrás de Webber na classificação. No seu 300º Grande Prêmio, o alemão Michael Shumacher chegou a ocupar a terceira posição, mas precisou fazer uma segunda parada nos boxes e terminou em sétimo.

A Fórmula 1 volta à pista no próximo final de semana para a 13ª etapa da temporada, no circuito de Monza, na Itália.

A corrida

O Grande Prêmio da Bélgica começou movimentado. O francês Romain Grosjean tentou passar Hamilton antes da La Source, primeira curva de Spa-Francorchamps, mas trocou toques com a McLaren do rival. Isso o fez perder o controle da sua Lotus, que bateu na traseira de Sergio Pérez e voou por cima de Fernando Alonso. Os quatro pilotos envolvidos abandonaram.

O safety car ficou na pista por cinco voltas. A batida favoreceu o brasileiro Bruno Senna, que pulou do 17º lugar para o quinto. A dupla da Force India ficou em terceiro e quarto, com Nico Hulkenberg à frente de Paul di Resta. Michael Schumacher largou em 13º e apareceu em sexto. Na volta 11, colocou de lado no francês Kimi Raikkonen, usou a asa móvel e contornou a curva à direita à frente do finlandês para assumir a terceira posição.

Com as paradas, Schumacher ficou em segundo. Na volta 17, as três primeiras posições estavam com o líder Jenson Button, o alemão e Sebastian Vettel, os únicos que ainda não haviam feito pit stop. Os pneus da Mercedes do heptacampeão começaram a se desgastar e Vettel encostou. Antes de tomar a ultrapassagem, Schumacher entrou nos boxes.

Com as paradas, Raikkonen ganhou a posição de Nico Hulkenberg, da Force India, e retomou o terceiro lugar. Vettel parou na 21ª volta e retornou como sexto colocado, à frente de Schumacher.

A 13 giros do fim, o heptacampeão conseguiu voltar a terceiro e passou a levar pressão de Raikkonen. Sofreu a ultrapassagem e caiu para quarto, mas imediatamente utilizou a asa móvel para devolver a manobra. Schumacher, Raikkonen, Hulkenberg e Webber estavam separados por menos de dois segundos.

O finlandês conseguiu passar o alemão mais uma vez, na volta 34, na descida do trecho Eau Rouge. Hulkenberg aproveitou para assumiu o quarto lugar no giro seguinte, mas o piloto da Mercedes conseguiu devolver a ultrapassagem.

Ao ser superado por Nico mais uma vez, abandonou a estratégia de uma única parada e foi aos boxes, retornando em sétimo, atrás de Webber. Isso porque o australiano sofreu uma passada do brasileiro Felipe Massa na freada da curva Les Combes e perdeu o quinto lugar.

Nas voltas finais, a troca de posições diminuiu. Button e Vettel pararam apenas uma vez, abriram vantagem e não foram ameaçados. Terminaram tranquilamente em primeiro e segundo, respectivamente.

Veja o resultado do Grande Prêmio da Bélgica:

1. Jenson Button (ING/McLaren): 1h29min08s530 

2. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull): a 13s624 

3. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus): a 25s334 

4. Nico Hulkenberg (ALE/Force India) a 27s843 

5. Felipe Massa (BRA/Ferrari): a 29s845 

6. Mark Webber (AUS/Red Bull): a 31s244 

7. Michael Schumacher (ALE/Mercedes): a 53s374 

8. Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso): a 58s865 

9. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso): a 1min02s982 

10. Paul Di Resta (ESC/Force India): a 1min03s783 

11. Nico Rosberg (ALE/Mercedes): 1min05s111 

12. Bruno Senna (BRA/Williams): 1min11s529 

13. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber): 1min56s119 

14. Vitaly Petrov (RUS/Caterham): a uma volta 

15. Timo Glock (ALE/Marussia): a uma volta 

16. Charles Pic (FRA/Marussia): a uma volta 

17. Heikki Kovalainen (FIN/Caterham): a uma volta 

18. Pedro De la Rosa (ESP/HRT): a uma volta

Não terminaram:

Nairan Karthikeyan (IND/HRT) 

Maldonado (VEN/Williams) 

Perez (MEX/Sauber) 

Alonso (ESP/Ferrari) 

Hamilton (ING/McLaren) 

Grosjean (FRA/Lotus)