Ciclista britânico surta ao ser desclassificado na Paralimpíada

O ciclista britânico Jody Cundy, amputado na perna direita, protagonizou uma das cenas de maior intensidade no ciclismo nesta sexta-feira, nos Jogos Paralímpicos de Londres. Na disputa do contra relógio masculino individual C4-5, o atleta errou a largada e acabou desclassificado pela organização. A reação foi um surto que acabou por dividir o público no Velódromo, composto principalmente por britânicos notadamente apaixonados pelo esporte.

Jody Cundy seria o último a competir, logo depois do espanhol Alfonso Cabello, que havia acabado de quebrar o recorde mundial da prova, com 1min05s947. Portanto, o britânico era o único que poderia tirar do ibérico a medalha de ouro. O público foi à loucura quando ele se preparou para a largada, mas a saída não foi boa. Com o problema, ele apenas deu uma volta no traçado, voltando à posição original.

Enquanto esperava por uma definição por parte da organização, Cundy permaneceu sentado tranquilamente na beira da pista. A alegação era de problema no equipamento que segura a bicicleta para a largada. Alguns minutos mais tarde, o locutor anunciou que a decisão indicava um erro do ciclista e que, portanto, ele estaria desclassificado. Uma vaia imediata varreu o Velódromo do Parque Olímpico de Londres.

Cundy se levantou, tentou argumentar e então surtou: começou a gritar e balançar os braços para depois voltar à pista e dizer algumas palavras de forma ríspida em direção ao responsável pelo equipamento. Foi aí que o público se dividiu: alguns aplaudiram, enquanto outros se calaram. O britânico desceu a rampa gesticulando descontroladamente, observado por todos no local.

Enquanto passava entre as baias destinada aos atletas, Jody Cundy deu um grito que pôde ser ouvido por todos, então agarrou uma garrafa de bebida energética e atirou no chão. O objeto foi parar no espaço destinado aos norte-irlandeses, que não se manifestaram. Uma equipe de limpeza teve que se dirigir ao local para secar o chão. Cundy sentou no chão e foi amparado por membros de sua equipe, enquanto começava a ser vaiado por algumas das pessoas na arquibancada.

Quando se virou para seguir para o túnel dos atletas, recebeu novas vaias. Então ergueu a cabeça e gesticulou de novo, sendo aplaudido. A confusão terminou quando ele desapareceu pelas escadas. O ouro ficou mesmo com o espanhol Alfonso Cabello, mas os britânicos ainda conseguiram a prata, com Jon-Allan Butterworth. O chinês Xinyang Liu foi bronze. Dois brasileiros competiram: João Schwindt terminou na 12ª colocação e Soelito Gohr, em 16°.