A perigo, Oswaldo rebate Jefferson

Técnico diz que saída de campo não é momento para dar entrevistas

Considerado por muitos o melhor goleiro do País e convocado com frequência para a Seleção Brasileira, Jefferson deixou o gramado do Morumbi irritado com a fraca partida defensiva do Botafogo na derrota por 4 a 0 sofrida para o São Paulo na noite de quinta-feira.

Cercado por repórteres, o arqueiro elogiou o desempenho do ataque rival, ressaltou as tentativas para reverter o resultado, mas criticou a "falta de alma" da equipe. Já nos vestiários do estádio, o técnico Oswaldo de Oliveira ficou sabendo das declarações de seu camisa 1 e não se mostrou satisfeito.

"Quando uma equipe perde de 4 a 0, é claro que a gente fica muito sentido, muito ferido. Saída de campo não é hora e nem lugar para dar entrevista. Eu estava desacostumado com isso, pois passei cinco anos sem isso", disparou o treinador, lembrando das temporadas disputadas no futebol japonês. No país nipônico, os jornalistas só tinham acesso aos jogadores e técnicos alguns minutos após os jogos, justamente para evitar declarações polêmicas.

Ameaçado no cargo e principal alvo das críticas da torcida, Oswaldo de Oliveira retribuiu a confiança dada por Renato, que isentou o treinador de culpa, e elogiou a partida de seus comandados. "Prefiro ver que foi um jogo em que criamos boas oportunidades e que finalizamos mais do que o adversário. Não fomos competentes e eles foram. Com sobras", concluiu.