Consul britânico cita legado olímpico e oferece apoio ao Rio

A Cônsul-Geral do Reino Unido no Rio de Janeiro, Paula Walsh, divulgou uma carta nesta quinta-feira em que enaltece os feitos btitânicos estabelecidos com a diputa dos Jogos Olímpicos de 2012 em Londres. Walsh destacou a evolução estrutural da capital inglesa, além do bnrilhante resultado esportivo obtido. Os exemplos foram citados como auxílio ao Brasil para conseguir o mesmo êxito com a realização dos Jogos do Rio de Janeiro em 2016.

Confira a carta na íntegra:

Para o Reino Unido, os Jogos Olímpicos sempre representaram mais do que duas semanas de competições esportivas. Há sete anos, nós prometemos um legado duradouro de Londres 2012, e agora a evidência é tangível: da construção de instalações olímpicas de nível mundial aos avanços dos nossos serviços de transporte e segurança; da revitalização de áreas degeneradas ao investimento no esporte para ser um hábito de vida. Nós estamos muito satisfeitos pelo sucesso dos Jogos de Londres, e ainda mais orgulhosos de nossos atletas, que tiveram o melhor desempenho em mais de cem anos: 29 medalhas de ouro, 17 de prata e 19 de bronze.

Nós esperamos que o excelente desempenho do Time Great Britain possa criar um legado esportivo que sirva de inspiração para que jovens atletas se tornem campeões no futuro. O Reino Unido está bastante empenhado neste sentido. Para estimular o esporte juvenil, será lançada, em janeiro, uma estratégia esportiva de £1 bilhão, com foco em atletas britânicos de 14 a 25 anos. Ao mesmo tempo, para manter o desempenho dos atletas de elite, um fundo específico vai garantir o orçamento destes competidores a caminho dos Jogos de Inverno de Sochi 2014 e dos Jogos de 2016 ¿ fazendo com que os atletas britânicos mantenham o bom desempenho deste ano. O Governo também restabeleceu o projeto que direciona parte dos fundos da loteria para o esporte. Com esta iniciativa, mais de £500 milhões irão para a área de esporte nos próximos cinco anos.

O Reino Unido também está cuidando das bases da geração futura. A nossa meta é criar mais de seis mil clubes de esporte comunitários por meio das escolas públicas. Além disso, o programa dos Jogos Escolares foi reformulado para focar no lema ¿esporte para todos¿, do qual já fazem parte 13.000 escolas. O país ainda pretende recrutar 40.000 novos líderes esportivos comunitários para estimular mais pessoas a praticar esportes. Essas são iniciativas importantes para a evolução consistente do esporte britânico.

Ao atrair eventos de nível mundial como os Jogos Olímpicos, não estamos apenas criando uma atmosfera ideal para o esporte, mas também asseguramos centros de treinamento de primeira linha para nossos atletas. O Reino Unido sediou mais de 80 eventos internacionais até chegar a Londres 2012, e muitos outros ainda virão como a Copa do Mundo da Liga de Rugby, em 2013, e os Jogos da Commonwealth, em 2014. Seis das oito instalações olímpicas usadas durante os Jogos de 2012 já têm novos administradores, e a expectativa é que 10 mil empregos sejam criados apenas no Parque Olímpico.

O impulso britânico para desenvolver um legado de esportes tem raízes profundas. O Programa de Legado dos Esportes da Prefeitura de Londres já ofereceu oportunidades de treinamento para 3.000 técnicos, oficiais e voluntários, e está organizando o programa ¿Free Sport¿, que dá a 17.000 pessoas o mínimo de 6 horas de treinamento. Isso é importante para Londres. Em seguida, com a crença de que os Jogos Paralímpicos são tão relevantes quanto os Olímpicos, o Reino Unido está ampliando o acesso ao esporte paralímpico por meio de um fundo de £8 milhões chamando ¿Esporte Inglês¿ para diminuir as barreiras para pessoas com deficiência. Nós também estamos apoiando crianças ao tornar os esportes para deficientes uma parte central dos Jogos Escolares.

O investimento e o esforço que colocamos nos esportes se refletem nos resultados de Londres 2012: o Team GB terminou em terceiro lugar no quadro de medalhas, atrás das grandes nações esportivas Estados Unidos e China. Durante a cerimônia de encerramento, passamos a Bandeira Olímpica para o Rio de Janeiro, que irá sediar os Jogos em 2016. Acreditamos que o Rio de Janeiro irá realizar um evento fantástico, e que a nação conhecida pelo seu futebol tem potencial para ganhar muitas medalhas de ouro em diversos outros esportes. O Reino Unido e o Brasil já estão trabalhando juntos para compartilhar conhecimento em diversas áreas relacionadas à preparação de grandes eventos esportivos. Sabemos que podemos dividir muitas outras experiências no caminho para a Copa do Mundo de 2014 e para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016 e que podemos aprender um com o outro como transformar o esporte em um hábito para toda a vida.

Paula Walsh, Cônsul-Geral do Reino Unido no Rio de Janeiro