Bruninho elogia "filosofia" e espera que pai fique na seleção de vôlei 

Filho do técnico Bernardinho, o levantador Bruno Rezende espera que o pai continue à frente da seleção brasileira masculina de vôlei, mas ainda não confirmou se é realmente isso que acontecerá. Nesta quinta-feira, o jogador concedeu entrevista ao lado de boa parte da equipe em um hotel em Guarulhos, logo após o retorno ao Brasil da Olimpíada de Londres.

"Espero que ele possa pensar bem e que continue", disse Bruninho, questionado sobre a possibilidade de Bernardinho continuar na seleção vice-campeã olímpica em Londres. "É um cara muito importante, a filosofia dele, sei quanto ele gosta de estar no dia a dia, de trabalhar. Acredito que continue sendo o grande nome para o comando da seleção".

Na última terça-feira, o presidente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), Ary Graça, anunciou que Bernardinho permanecerá como treinador em mais um ciclo olímpico, que culmina no Rio de Janeiro, em 2006. O técnico, porém, ainda não se manifestou sobre o assunto - havia deixado a continuidade sob dúvida depois da derrota para a Rússia, por 3 sets a 2, na final da Olimpíada de Londres.

"Espero que continue, não tenho nenhum tipo de problema, vai depender muito da decisão dele com a Fernanda (Venturini), com as crianças, vamos ver", prosseguiu Bruninho, em referência à ex-jogadora, mulher de Bernardinho.

Nesta quinta, o treinador da seleção deveria participar da entrevista em Guarulhos ao lado dos jogadores, mas não pôde estar presente por um problema no avião. A aeronave que levava o profissional a São Paulo teve de retornar ao Rio de Janeiro por falta de combustível.